2 de mai de 2011

Post sobre a bolha imobiliária do Fórum Skyscrapercity - Autor: FriedrichHayek

Publico este excelente post do usuário FriedrichHayek, postado inicialmente no fórum skyscrapercity, sobre a bolha imobiliária de Brasília. O link para o post no fórum é o seguinte: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1127753&page=33


Essa ideia de que há uma demanda inesgotável não se sustenta. O censo 2010 já confirmou que temos superávit habitacional - o número de imóveis vagos (e isso excluindo casas de veraneio e afins) supera a tão famosa carência de habitações: 

http://www.brasil.gov.br/noticias/ar...ica-censo-2010

O que vem ocorrendo no Brasil é facilmente compreendido com este gráfico elaborado por Jean-Paul Rodrigue, um PhD que estudou o comportamento de bolhas ao redor do mundo, o qual, apesar de particularidades de cada mercado, é bastante semelhante.



Note que a demanda "normal" seria a linha reta. A oferta de crédito distorce a demanda, amplificando-a no presente. Com endividamento, TROCA-SE A DEMANDA FUTURA POR DEMANDA PRESENTE - a linha azul "engorda" no presente, "emagrece no futuro". Esse é não só o caso dos que estão comprando agora, pois "se eu não comprar, nunca mais poderei comprar", como dos que estão comprando dois, três, quatro apartamentos na planta apostando no crescimento futuro da demanda.

Aliás, o comportamento das bolhas são muito semelhantes, independente do mercado em que ocorram.



Esse gráfico dele compara três bolhas recentes nos EUA: a das empresas de tecnologia, a imobiliária e a de commodities. Se você compara esses gráficos com o que ocorreu (no caso das bolhas que já "estouraram") e o que vem ocorrendo em vários mercados (como o chinês, australiano, brasileiro), verá que a dinâmica é a mesma.

Coincidência? Pode ser. Agora, estudando o assunto e vendo esses indícios "curiosos", seria inteligente contrair uma dívida de R$ 1 milhão e correr o risco de ficar "amarrado" a ela se o preço dos imóveis caírem? Cada um faz o que quiser com o dinheiro que tem.

Nenhum comentário: