14 de jun de 2012

Porque acredito que estamos numa bolha imobiliária (e de crédito e consumo) também.












Postado originalmente em 13/5/2010

Se eu puder dar um conselho a alguém é: não compre imóvel em Brasília, não está na hora de comprar, você não vai fazer um bom negócio e nem vai ficar rico investindo em imóveis. Tenho certeza que vários investidores/especuladores amadores e pessoas que não entendem nada de mercado irão me ridicularizar. Tenho até evitado comentar neste assunto em rodas de amigos porque as pessoas estão cegas e acreditam que os imóveis continuarão valorizando ao ritmo de 20 a 30% ao ano, descontada a inflação. Isso é impossível.
A lógica não permite esse tipo de acontecimento. Qualquer desvio exagerado na curva de preços de mercado de um determinado bem tende a recuar, ou seja, a bolha vai estourar.
Porque acredito nisto:
1) A razão aluguel/preço do imóvel, que dá o indicativo de valor de um imóvel, deve ser próxima a 1%. Moro em um apartamento na Asa Sul e pago R$ 1.500,00 de aluguel (contrato novo, com menos de 6 meses, ou seja, valor atualizado). O valor venal do imóvel, segundo os classificados e a imobiliária é de R$ 620.000,00. O imóvel tem 50 anos, 2 quartos e 96m2. Pago menos que 0,25% (mais precisamente 0,24%). Ou seja, 413 meses de aluguel correspondem ao valor do imóvel (pouco mais de 34 anos). Os entendidos do assunto dizem que vale a pena comprar um imóvel quando o valor do aluguel seria suficiente para comprá-lo em 10 a 12 anos. Brasília está fora da realidade. Seria razoável pagar até R$ 250.000,00 no apartamento que estou morando, mais que isso é loucura e jogar dinheiro fora. Este cálculo vale para qualquer imóvel em Brasília. Os valores variam de 0,2% a 0,4%. É muito melhor pagar aluguel em Brasília e esperar a bolha estourar.
2) Se você acha que pegar um financiamento é vantajoso, com nossas pequenas taxas de juros (de 10 a 15%) ao ano mais T.R., vá fundo. Graças ao excesso de crédito, além de pagar altíssimos juros você estará contribuindo para inflar os preços, só que uma hora este crédito será cobrado ou irá ficar mais restrito e aí você vai descobrir que o apartamento de 500 mil que você comprou não vale mais isso tudo e a sua dívida é muito maior que o valor do apartamento. Mas se você acha que essa é a hora, vá fundo e boa sorte.
3) Quanto mais crédito maior o preço. O crédito imobiliário está crescendo a taxas anuais altíssimas no Brasil, causando um verdadeiro boom de construções, não só em Brasília, em todos os municípios. Isto faz com que haja uma demanda artificial e que fatalmente será interrompida com a escassez do crédito. Com a economia crescendo tudo é muito bonito e muito fácil. Vocês acham que o Brasil irá crescer para sempre ou que uma hora a nossa dívida pública será cobrada (ela não pára de crescer)?
4) Quantas pessoas você conhece que estão comprando apenas para especular? Eu conheço várias. Pessoas que estão jogando na loteria, mas se dizem especialistas, porque acreditam que irão eternamente comprar o ágio por 50.000 e vendê-lo por 100.000 ou 60.000 ou muito mais. Pessoas que se não conseguirem vender o ágio pelo valor que pagaram não terão dinheiro para pagar as parcelas e as chaves do imóvel. Ou seja, apostadores (alguém se lembra do avestruz master ou das fazendas boi gordo, ou da Amway ou do Herbalife, semelhança ou coincidência?).
5) Vocês acham que de repente o Brasil descobriu que nunca foi pobre e virou rico. Terão um belo susto em breve. A dívida pública bruta está em níveis altíssimos e não pára de crescer.
6) Olhe para Águas Claras e veja quantos edifícios estão sendo construídos. Não temos demanda para tudo isso. Olhem a noite quantos apartamentos estão vazios, com as luzes apagadas, pois seus donos não querem nem alugá-los, apenas querem ver a valorização de 25% ao ano infinitamente (vão levar um belo susto em breve). Estamos tendo um excesso de construções e isso irá cobrar seu preço no futuro, principalmente dos que comprarem imóveis no auge do boom (de 2009 em diante).

Mas, se você não acredita em mim, acredite então nestas pessoas:

1) Corretores: se o seu salário dependesse de quantos negócios você fecha você estaria preocupado com a qualidade dos mesmos? Os corretores vivem de comissões sobre compra e venda. Eles não estão interessados se você vai fazer um bom negócio, ele está interessado se você vai fazer um negócio, e apenas isso. O corretor fala ao mesmo tempo para o vendedor que é a melhor hora de vender e para o comprador que é o melhor momento para comprar. Incoerente não. Faça o teste. Converse com um corretor. Ele é uma pessoa que irá buscar o negócio (e não o melhor negócio) a qualquer custo, ele vive disso.
2) Jornais e revistas: Estes sim irão ser sinceros. Totalmente desinteressados. Vejam as matérias nos jornais: compre imóvel, o melhor negócio. Dinheiro garantido, e outros blá, blá, blá. Todas as matérias pagas. Vejam só quantos anúncios de imóveis há num jornal. É daí, e não das vendas, que vem o sustento destes periódicos. Não se enganem, se eles falarem mal do mercado de imóveis as construtoras deixarão de anunciar neles. Eles nunca farão isso.
3) O Governo: o Governo, altamente corruptível e financiado pelas construtoras, além de fazer propaganda de imóveis com programas públicos altamente desfavoráveis a população está liberando crédito "a rodo" para o setor imobiliário. Primeiro porque está enriquecendo seus financiadores de campanha. Segundo porque gera empregos (de baixa qualificação e que irão acabar quando a bolha estourar). Terceiro porque o cidadão que financiou 100% ou 90% do imóvel, pagando 3 ou 4 vezes o preço que o mesmo vale, acredita ter virado proprietário e fica feliz da vida(ele acha mesmo que é o dono, e não a Caixa Econômica Federal, mas o povo vive de status e precisa ter um imóvel mesmo).
4) Os bancos: bom, os gerentes ficam felizes da vida ao te empurrar um empréstimo imobiliário com juros altíssimos para os padrões mundiais. Primeiro porque os mesmos tem metas de vendas de empréstimos, segundo porque te fidelizam ao banco por 20 a 30 anos e terceiro porque banco vive de juros, principalmente os decorrentes de empréstimos seguros, com imóvel em garantia. Não possuem imparcialidade nenhuma.
5) Proprietários de imóveis ou os filhos deles: estes nunca acreditarão que vivemos numa bolha, pois estão virando "milionários" sem fazer força. Pessoas que compraram imóveis ou ganharam estão achando que são ricas, pois acreditam que a bolha irá durar pra sempre. Nunca irão admitir que os preços são irreais. Ah, uma coisa engraçada, no prédio em que vivo os carros, em sua maioria, não são novos, mas os proprietários dos imóveis acham que são "milionários" só por possuir um apartamento.

As mentiras que as pessoas contam:

1) Imóveis nunca caem de preço: vou apenas usar 2 exemplos - Estados Unidos em 2007 (queda no preço em várias cidades) e Japão na década de 90 (até hoje os imóveis não chegaram ao valor daquela época, na qual viviam em uma bolha). Quem tiver interesse pode pesquisar mais a respeito. Há inúmeros casos.
2) Aluguel é dinheiro jogado fora: depende, como falei no início, se você paga 1% ou mais de aluguel pode estar jogando dinheiro fora mas se você paga menos de 0,8% como eu está no lucro, pois gasta menos com aluguel do que com o juro do financiamento. E se economizar ainda irá comprar com folga no futuro.
3) O Governo está incentivando a compra da casa própria: não a da minha, pois ao jorrar dinheiro em forma de subsídios do minha casa minha dívida e nos financiamentos imobiliários só está fazendo uma coisa, inflando a bolha de preços.
4) Há um déficit habitacional enorme em Brasília: primeiro que sempre houve e mesmo assim os preços não estavam irreais como hoje, segundo que para a classe média e para a classe alta não há déficit, há até excesso de oferta. O que segura o preço são os especuladores e o crédito fácil.
5) Eu preciso de um imóvel: para vencer na vida a pessoa precisa comprar um imóvel. Eu não, você precisa? Eu não vou viver apertado por 30 anos só para dizer que tenho um imóvel, prefiro pagar aluguel e esperar o preço voltar ao normal.

Abraços a todos

364 comentários:

1 – 200 de 364   Recentes›   Mais recentes»
Altair Godoi disse...

Na verdade, um bom indicador para balizar os preços de imóveis são os juros do mercado financeiro. Ex. Quando a tx. SELIC está em alta o preço dos imóveis caem. Quando as taxas está baixa os imóveis sobem. A SELIC está subindo e obviamente os imóveis caindo. Etc. ETC.
Godoi

Gui Rodrigues disse...

É natural que imóveis de apenas seis andares em quadras arborizadas e próximas do centro sejam mais caros que a média do país... mas é óbvio que eles hoje estão esticados, basta comparar o custo do aluguel, que é um parâmetro objetivo e de fácil aferição, como você bem expôs.

Assim, das duas uma, ou os aluguéis estão muito baratos ou os imóveis estão muito caros: em qualquer hipótese, não parece sensato comprar...

Em relação ao custo médio do aluguel, acho que 1% ao mês já é bem caro, e o Halfeld fala numa média de 6% ao ano, salvo melhor juízo.

Enfim, gostei muito do post, achei que as ideias estão muito bem estruturadas e cercam a matéria por todos os ângulos. Fico na torcida pela continuidade do blog. Grande abraço!

MARCELO disse...

otima colocacao, a maioria dos brasileiros, principalmente as classes media e de menor poder aquisitivo,apresenta ideias completamente equivocadas a respeito da "sonhada" casa propria. Enquanto aqueles mais antenados e com melhores conhecimentos de economia sempre esperam o melhor momento para comprar seu imovel (grande, bonito, adquirido com dinheiro tendo poder de barganha, "do jeito que se esperava"),as classes menos elitizadas, ansiosas por poder falar que possuem a casinha propria, compram o mais rapido possivel qualquer boa oferta de "aperto mal localizado" acreditando que se livrar do aluguel foi "a melhor coisa do mundo". Muitas pessoas que realmente trabalham com/ou entendem de dinheiro simplesmente vivem de aluguel numa boa (em bons imoveis, diga-se de passagem) e, assim que o dinheiro estiver sobrando, ou se nao tiverem melhor opcao de investimento,adquirem sem dores de cabeca seu adequado imovel. Acho incrivel que na cidade de maior poder aquisitivo do Brasil, e de maior instrucao, sua educada populacao acredite nesta cilada financeiro-imobiliaria. Capitalismo selvagem e isto!
Nossa sociedade precisa de pessoas como voce,que pensam alem do obvio. Quanto as que "pensam" que estao ricas porque tem um teto...

Kleber S. disse...

Pedro, num resta duvida, cumpadre. Sabe o que e' engracado. EXATAMENTE o mesmo discurso do seu post eu usei com meus colegas de trabalho em Northern Nevada em 2006, onde se deu uma das maiores bolhas do mercado americano. A reacao foi nao so' de incredulidade, mas de brutalidade tambem. Tive que parar de falar do assunto com algumas pessoas, pois ficaram ofendidas comigo. 15 meses depois vireram de volta:

"E', Kleber, voce tava certo. Mas agora diga ae quando que os precos voltarao a subir?"

Ae eu falei:

"Seguinte. Ce ja' comeu demais e se sentiu empanturrado alguma vez na sua vida?"

"Sim"

"Mas voce se recusou a vomitar, certo?"

"Recusei"

"Mas no fim acabou vomitando, num e' mesmo? Ae veio o alivio?"

"Perfeitamente"

"Entao e' isso ai', cumpadre. Quando a galera vomitar esse excesso de inventario de imovel vazio que voce ve por ai', ai' os precos se restabelecem. Mas nao prenda seu folego ate' la', que nao vai fazer bem pra saude."


Um grande abraco, Pedro.


Kleber S.

Luciene Felix disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Pedro Júnior disse...

Kleber,
Exatamente isso que você falou. Não trato mais do assunto em conversas do trabalho, em bares ou qualquer outro evento social. Sou taxado como louco, invejoso, dentre outras coisas. A mania especulativa imobiliária é tão grande que até entre as classes sociais menos abastadas este é o assunto do momento. E seguimos nos endividando.

Anônimo disse...

Só não gostei da comparação de Avestruz Master / Herbalife com a Amway. Se eu fosse você se informaria melhor antes de fazer qualquer informação sobre a Amway.

João Guilherme Brotto disse...

Brilhante artigo! A realidade de Curitiba é semelhante. Estou convencido a alugar, poupar e esperar a bolha estourar pra comprar um imóvel a um preço justo! Estamos vivendo algo fora da realidade! Abraço, sucesso!

Pedro Júnior disse...

Obrigado João Guilherme. Espero tê-lo ajudado na decisão de não se endividar por algumas décadas e depois descobrir que pagou mais do que o bem valia.
Anônimo, não consigo deixar de comparar o esquema de financiamentos e venda de ágios com uma pirâmide financeira e para mim Avestruz Master / Herbalife e Amway funcionam no esquema de pirâmide (os que estão no topo faturam muito e os que estão embaixo trabalham na ilusão de faturarem muito, mas aí a pirâmide está na base e uma hora chega ao fim e eles não ganham nada).
Abraços,
Pedro

Anônimo disse...

Eu precisava de um artigo como esse para confirmar minhas expectativas. Obrigada Pedro Júnior.

william disse...

Eu tava indiginado com os valores dos imoveis e nao tava entendendo essa matematica que torna os imoveis tao atraentes para investimento vs salario recebido. No meu raciocinio totalmente incompativel ou entao eu to ganhando muito pouco. Parabens pelo artigo. Minha previsao: Em 2 anos quando todos os lancamentos estiverem de peh e todos esses "expert" investidores cairem na real e tentarem transformar o que investiu em lucro, acho q no terceiro ou quarto ano os valores dos imoveis despecam, pq a ficha cai. Abracos
William

william disse...

Eu tb acredito q se a bolsa de valores gerassem tanto lucro como antes de setembro de 2008, nao haveria uma bolha no mercado imobiliario tao grande assim.

investmundo disse...

nada é tão caro que não possa subir mais, e nada é tão barato que não possa cair mais. JESSE LIVERMORE

Anônimo disse...

Essa bolha não existe e nunca existirá. O quE vai acontecer é que quem não comprar agora pelo preço que está, das duas uma: Ou não vai comprar porque daqui a 03 anos estará mais caro, ou vai comprar mais caro mesmo e se lamentar por não ter comprado a três anos atrás, como já ocorre. E esse negócio de que o preço dos imóveis caem, só se for no Japão e nos Estados Unidos onde o crédito imobiliário virou uma farra do boi com tantos banqueiros irresponsáveis e usuráveis concedendo empréstimo sem nenhum critério de avaliação de quem solicitava.
Não caem mesmo, Águas Claras há 10 anos atrás começou a ser vendido o metro quadrado a R$ 900,00 e hoje não sai por menos de R$ 5.500,00, quem não comprou naquela época se arrepende e muito de não ter investido lá, e assim acontece com o Sudoeste que hoje o metro quadrado vale em torno de R$ 10.000,00 e há 08 anos era bem mais barato. O noroeste está ai para provar que não cae e que fica a cada mês mais caro. O primeiro empreendimento foi lançado a R$ 6.000,00 o metro quadrado, hoje não sai por menos de R$ 8.500,00.
Cai na real e para com essa asneira de comparar o Brasil com outros paises, quero exemplo de que o preço caiu aqui, no nosso país, em qualquer cidade. FALA SÉRIO!!!!!!

Pedro Júnior disse...

Prezado anônimo,
Tendo em vista o seu comentário e a sua certeza irei dar-lhe uma sugestão: pegue sua poupança (você não parece ser desse tipo de gente que poupa, mas se tiver pegue tudo que tiver lá), pegue um CDC no banco, venda o seu carro e financie um novo, pegue adiantamento no trabalho, pegue dinheiro com familiares e parentes, peça dinheiro a financeiras e saque o seu limite no cartão em dinheiro. Após fazer tudo isso vá aos estandes dos corretores no noroeste e em Águas Claras e compre todos os lançamentos que puder, não esquecendo de se organizar para pagar as prestações durante 2 ou 3 anos. Quando chegar no 2o. ano venda tudo com 50, 70 ou 100% de lucro. Pague suas dívidas e reinvista tudo em mais imóveis e ganhe ainda mais dinheiro.
Quando você ficar rico volte aqui e me conte.
Abçs,
Pedro

Anônimo disse...

Prezado Pedro, boa tarde!
Vou me apresentar: Meu nome é Beatriz e sou investidora do mercado imobiliário. Desculpe não ter lhe respondido antes, estava ocupada participando de mais um lançamento de imóveis do qual já sou investidora há mais de dez anos. E só tenho tido lucros como nunca!
Quanto ao seu comentário de que não sou poupadora, ledo engano! Sou poupadora daquelas inteligentes que aplicam no mercado imobiliário e não sou idiota ao ponto de deixar meu dinheiro parado em aplicações que nada redem, e mais uma coisa: pelo amor de Deus retira essa orientação idiota que você deu porque os incautos e sem experiência podem fazer isso e provocar um estrago na vida deles que não terão como sair.
Quanto aos preços estarem foram da realidade, deixa eu te explicar uma coisa: a dez anos atrás quando comecei a ver essa mina de ouro, o metro quadrado de Águas Claras começou a ser vendido a R$ 900 reais, hoje não sai por menos de R$ 5.500 mil, veja só que valorização! Na Asa Sul o metro quadrado era vendido a R$ 3.500,00, hoje não sai por menos de R$ 9.000,00. Quanto ao preço de imóveis cair, quero que você me diga qual a cidade aqui no Brasil que caiu para eu ir comprar e esperar o lucro na certeza do aumento do preço do metro quadrado.
Quando você menciona que é tranquilo para você pagar aluguel, a escolha é tua, se é que você tem escolha em deixar o seu dinheiro muito mal aplicado na poupança rendendo uma miséria ou nada mesmo, ou não pode comprar o seu imóvel porque não tem um miséro valor poupado para dar de sinal em um apartamento na planta e nem o percentual que a CEF exige para financiar o seu apartamento.
O dono do imóvel que você paga deve estar bem feliz por ter investido e estar lucrando agora com o seu rico dinheiro indo parar no bolso dele como retorno do investimento que ele fez no passado.
Outro dado que te passo de graça é que Brasília tem um diferencial enorme em termos de habitação pois recebemos todo ano um grande público que são pessoas concursadas que não querem cometer o erro de morar durante 25, 30 anos em Brasília e pagar aluguel a vida toda e não construir nada de concreto para o seu futuro.
Pense nisso! Querendo, a minha corretora é ótima, tem um conhecimento ímpar sobre o mercado imobiliário, ela poderá te indicar lojas, salas comerciais, apartamentos de 01 e 02 quartos, é no que invisto.
Abraços,
Beatriz

Pedro Júnior disse...

Beatriz,
Parabéns, continue investindo em imóveis. Recomendo que, no momento, você invista em imóveis na Espanha, na Irlanda, em Miami, na Califórnia. Outro bom lugar é o Reino Unido.
Em Brasília recomendo que você invista no Noroeste, em Águas Claras, no Gama, em Samambaia, em Ceilândia. Também pode investir em Valparaíso. Ah, não esqueça de comprar um lote no Alphaville e um no Aquavila. Se a sua certeza de que o preço nunca vai cair e irá superar a inflação indefinidamente siga o meu conselho, alavanque usando imóveis, pegue dinheiro emprestado e compre ágios. Afinal, como você disse, o preço dos imóveis nunca baixa. Quanto ao conselho que te dei no post anterior não irei retirá-lo pois está na cara que se dirige a pessoas com o seu perfil e para estas pessoas nem é preciso dar esse tipo de orientação, elas têm esse tipo de idéia espetacular sozinhas.
Bons investimentos e espero vê-la comentando por aqui após o estouro da bolha.

Anônimo disse...

Caríssimo Pedro,
Boa tarde!
Peço-lhe encaricidamente que leia o meu comentário até o fim.
Gostaria de saber se você realmente leu o comentário anteiror que eu escrevi, e se leu qual foi a parte que você não entendeu ou eu não expliquei direito.
Bom, não gosto de ser repetitiva mas falo novamente: Não preciso pegar dinheiro emprestado para investir em imóveis. Tomar dinheiro emprestado é a pior coisa que um ser humano em sã conciência pode fazer consigo mesmo. Mas você insiste nessa orientação o que me leva a crêr, a mim e a todos os que lerem seus conselhos que você é que tem esse perfil de se individar e quer que mais pessoas fique na sua situação, gravissima por sinal, que é de não ter o perfil de poupador e investidor que eu tenho. O seu grau de individamento dever ser enorme. Sinto por você que sua atual situação financeira não permita que você invista na compra da sua casa própia e fique pagando pensão para quem acertadamente investiu em imóveis.
Outra coisa que acho que você não entendéu é que pedi a você informações de onde posso comprar imóveis que estejam barato e que o preço tenha caido aqui no Brasil. Apesar de já ter dado vários belos passeios pelo exterior diga-se de passagem sem me individar, Europa, Amérca do Norte, América do Sul não pretendo investir lá pois fica dificil administrar em caso de querer alugar para algum desprevenido financeiro igual a você que não tem condição de comprar um teto para morar.
Quanto ao estouro da bolha, já te falei que não existe e não existirá, procure se informar melhor sobre as oportunidades para investir no mercado imobiliário quando você tiver conseguido se livrar de suas dívidas e investir em sua casa própia, a qual você não terá que vender para especular, ficando assim livre de qualquer bolha. Entendeu? Quem compra para morar fica livre do aluguel e não corre o risco de se estourar em uma bolha caso ela venha existir.
Boa sorte! Beatriz

Pedro Júnior disse...

Anônimo ou Beatriz. Irei manter seu post para efeitos de registro histórico e para que os leitores do blog possam se lembrar de suas declarações quando a bolha estourar. Quanto às suas perguntas vou me abster de responder até porque não tenho pretensão de mudar a sua opinião. Quanto ao meu grau de "individamento" (sic) não vou comentar pois quem lê meus posts sabe exatamente qual é o meu perfil financeiro. Quanto aos locais bons para comprar imóveis, pergunte ao seu amigo corretor, ele é a sua pessoa de confiança e tenho certeza que ele coloca a amizade em primeiro lugar, só depois que ele se preocupa com a comissão. Boa sorte, feliz natal e próspero ano novo.

Fabio disse...

EXCELENTE blog.
Sem palavras. Não precisa ser um gênio financeiro (não o sou) para perceber que os imóveis estão supervalorizados.

Certamente muita gente já ganhou dinheiro com imóveis nos últimos anos. Quem entrar nesse momento e comprar a vista também poderá ganhar algum. Mas é claro e cristalino que esse crescimento não é sustentável, e que em breve os imóveis voltarão a seus preços reais.

Meus mais sinceros parabéns pelas idéias compartilhadas, só tenho a agradecer. Acredito que muita gente já percebeu que vivemos uma bolha imobiliária, e adoraria discutir o assunto com pessoas de mentalidade semelhante, para troca de experiências, informações e dados mercadológicos para embasar. Minha área de estudos é marketing, especialmente comportamento do consumidor, e acredito que poderia contribuir com dois centavos na discussão.

Caso não exista, acredito que o assunto comporta um fórum.

Acompanharei o blog de perto.

Grande abraço e mais uma vez, meus parabéns!

Fabio disse...

Retificando...

Li algum material sobre o assunto, e percebi que um fórum sequer é necessário. A informação, embasada, já está amplamente divulgada para qualquer um que se proponha a pesquisar e estudar um pouquinho.

Fica então mais um parabéns, e a espectativa de continuidade dos excelentes posts.

Um abraço

Fernando disse...

Bom dia Srº Pedro e demais visitantes.
Tenho acompanhado o seu blog e achei muito interessante o seu artigo e os comentários postados.
Tentarei me colocar da forma mais imparcial possível mesmo exercendo a profissão que exerço: CORRETOR DE IMÓVEIS. Meu nome é Fernando.
Cheguei em Brasília a vinte anos atrás. Pude acompanhar todo o crescimento dessa cidade em todos os sentidos: comercial, residencial, moradia de baixo e alto valores imobiliários. O tempo é o nosso maior aliado em todos os sentidos: seja para valorizar, seja para nos dar experiência, e baseado na minha experiência mercadológica há dez anos atrás já se falava desse "boom" imobiliário em Brasília quando foi lançado o bairro de Águas Claras e o mesmo ocorre agora com o lançamento do bairro Noroeste. Falo em Brasília porque é aqui que resido e conheço o mercado por ter a profissão que tenho. Mas como senti a necessidade de para melhor exercer minha profissão e atender melhor meus clientes, estudar, tenho estudado essa questão de "bolha imobiliária". Concordo que de fato, se não existisse o déficit habitacional do tamanho que existe eu já teria saido dessa profissão por não haver compradores, ou seja, a oferta maior que a procura. Os preços estão altos? Sim, estão; Há muita especulação? Sim, há; Há muita ganância por parte das construtoras? Com certeza.
Mas veja que existe todo um círculo nesse setor como em todos: há o trabalhador honesto, e incluo ai, o arquiteto, o engenheiro, o mestre de obra, o pedreiro, o servente de obra, o eletricista, o bombeiro hidraúlico, o decorador, o paisagista, enfim, as construtoras, os fabricantes de material de construção, enfim milhões de pessoas envolvidas nessa atividade financeira e que ganham o seu pão de cada dia de maneira honesta. Espero, sendo sincero e franco, sem hipocrisias, que essa bolha não passe de especulação.
Quanto ao imóvel para residir eu recomendo que não esperem uma caída de preço porque ela não ocorrerá. Recomendo mesmo que tendo condições financeiras efetue a compra o mais rápido possível para aproveitar os preços e quem não tem o valor para comprar a vista podem financiar pela CEF que trabalha com o sistema SAC (Sistema de amortização constante) onde o propietário começa com uma prestação em um determinado valor e ao longo dos anos a prestação vai abaixando e o seu imóvel valorizando.
Quanto a comprar para investir e ganhar no ágio como fez a Senhora Beatriz, nada contra, ela já deve ter ganho muito dinheiro e não acho que ela esteja errada, dinheiro gera dinheiro, é assim no comércio, abre-se um negócio, investe-se um capital e o objetivo é fazer com que o mesmo dê lucro. E com os imóveis (ágios) não seria diferente, o mesmo acontecendo com quem comprou para alugar e garantir sua aposentadoria recebendo um valor mensal pelo mesmo e vendendo o seu patrimônio familiar se valorizar.
Quanto a comissão do corretor, não vejo problema algum pagar pelos serviços de um profissional preparado, que tenha estudado e que preste um ótimo serviço profissional para o cliente dando toda a assistência que requer uma compra e venda de imóvel que com certeza seria efetuada por qualquer leigo, mas que encontraria sérias dificuldades diante de todos os passos que têm que ser seguido para que tudo ocorra com traquilidade e sem surpresas e com segurança.
Se posso ainda contribuir com mais alguma coisa gostaria de recomendar a leitura de revistas de econômia que podem dar maiores esclarecimentos entre os prós e os contras de se investir em imóveis e se é o melhor momento ou não para se adquirir o seu imóvel próprio.
Gratos pela atenção,
Fernando
Corretor de imóveis.

Anônimo disse...

Olá,
Meu nome é Leandro é me interesso pelo assunto "Bolha Imobiliária" há cerca de dois anos, quando tentei comprar meu primeiro imóvel.
Os preços dos imóveis no Brasil (e Brasília principalmente) estão totalmente fora da realidade.
De tudo que estudei (excelentes artigos na internet), acredito na existência da Bolha. Nossa situação parece muito semelhante à da Espanha e Irlanda.
Caso o Governo consiga segurar o estouro dessa bolha, é provável que os preços dos imóveis fiquem naturalmente "congelados" por no mínimo dez anos para que os preços voltem a um patamar real (inflação de 5% ano ano, em dez anos, o imóvel terá perdido valor real de no mínimo 50%). Quando as pessoas falam que os preços dos imóveis nunca caem, esquecem de computar a inflação.
Quanto ao comentário da "investidora" anterior, acho que seria mais interessante para ela comprar os apartamentos de Águas Claras que estão anunciados no Wimóveis (preço médio de 4.000 o metro quadrado - se é que estão vendendo nesse preço).
Parabéns pelo site!

Eduardo disse...

Prezado Pedro.

As ponderações desse post foram muito felizes. Existem vários indicativos de que há aumento pouco sustentado nos preços, não é necessário ter um MBA em Finanças para percebê-lo. O índice aluguel/valor do imóvel, cujo análogo na avaliação de ativos mobiliários é o P/L, é aquele que mais evidencia a supervalorização dos imóveis.

Em segundo lugar, eu alimentava, desorganizadamente, algumas considerações sobre o papel de Águas Claras (AC) na oferta de imóveis em Brasília, e você colocou-as de maneira direta. Moro no Plano, mas passo lá toda semana, e avalio o nível de ocupação dos imóveis, e arriscaria um valor mais alto: acredito girar em torno de 40-50%. Ainda assim, há muitos apartamentos aguardando ocupação, como você afirmou. Isso tem muitos motivos, talvez o maior deles seja mesmo especulação.

Há um fator, exógeno ao mercado imobiliário, muito importante, mas que não vejo sendo considerado na blogosfera: as declarações sobre política fiscal do Mantega. Qualquer coisa que impacte a renda do funcionalismo público federal, afetará a demanda por imóveis no DF de maneira quase proporcional (quem se arrisca a calcular a elasticidade-renda da demanda por imóveis no DF? Fará um IMENSO favor para todos!).

Uma última palavra sobre o mercado imobiliário: particularmente, não tenho preconceitos contra especuladores, como fundos de hedge, private equity etc., pois eles exercem um papel importante em evitar o aprofundamento de picos e de depressões nos preços. Mas me revolta particularmente especulação no mercado imobiliário, por ser um item de necessidade para todos. Creio que não há profissionais bem qualificados nesse mercado, pois todos amparam suas opiniões na própria experiência, e de maneira enviesada e desorganizada. Mas, enfim, o mercado imobiliário é isso, mais um mercado.

Anônimo disse...

No comentário de um corretor acima, lê-se a seguinte afirmação: "espero, sendo sincero e franco, sem hipocrisias, que essa bolha não passe de especulação". AHN!?

Anônimo disse...

Para quem quer exemplos de imóveis que caíram de preço aqui no BR, sugiro visitar o Centro de praticamente qualquer cidade grande.

Em SP, investir em sala comercial no Centro de SP ou na Av. Paulista era um negócio "excelente" na década de 70/80

Anônimo disse...

Excelente matéria, Pedro. Concordo contigo. E o pior é que quando converso com outros aqui em Brasília, falam que estou delirando: "imóvel em Brasília é assim mesmo, sempre sobe o preço, etc". Estamos é vivendo uma loucura sem fim. Pra se comprar imóveis em brasília é preciso ser milionário....

Renata disse...

Bom, meu nome é Renata. Não entrei aqui nem para ser contra e nem a favor de ninguém. Respeito as diferenças, benditas diferenças que quando bem colocadas animam qualquer assunto. O mundo seria muito chato se todos pensassem da mesma forma e sem nenhuma criatividade. Parabens a todos que postam aqui e colocam suas opiniões.
Bom, o que eu tenho para escrever e deixar registrado aqui é que a 04 anos atrás adquiri um imóvel na planta no Plano Piloto, um bom apartamento de 03 quartos, com garagem e com alguns intens de lazer aos quais eu, meu esposo e meus filhos usamos com prazer e segurança.
Se fiz certo ou errado não sei, só sei que comprei minha moradia própria com o metro quadrado a R$ 6.600,00 aqui no plano e hoje o metro quadrado dele está avaliado em R$ 10.500,00. Muita gente me aconselhou que eu esperasse porque a bolha ia explodi e que o valor do metro quadrado ia cair. Minha prima acreditou nisso e hoje ela se arrepende, paga um aluguel que é o mesmo valor da minha mensalidade na CEF e que está no sistema SAC e que daqui a uns 03 anos deverá cair (o valor da mensalidade) e o meu apartamento, patrimônio que deixarei para os meus filhos está se valorizando. Se o preço do metro quadrado cair, a mim pouco me importa, pois comprei para morar e não estou especulando nada. Não comprei para revender e ganhar dinheiro, apenas aproveitei a oportunidade e graças a Deus acertei. Hoje moro no que é meu, pago o que é meu. Um empreendimento limpo, novo, bonito, confortável. Estou tranquila com relação ao meus filhos. Se eu e meu marido faltar hoje eles terão onde morar pois o plano que fiz na CEF tem o seguro de quitação.
Conselho? Não dou porque não me pediram, mas que eu estou feliz e tranqula, estou. Quanto a minha prima, toda vez em que me visita, lamenta não ser minha vizinha. Fazer o que não é? O futuro a Deus pertece.
Abraços,
Renata

Pedro Júnior disse...

Renata, pelo que você disse creio que se trata de um fake, ou de um corretor disfarçado, mas tudo bem. Considerando que você exista e que tenha comprado o referido apartamento (comprou caro na época viu!) por 6.600 o m2 e que dito apto possui 100 m2, o que considero o mínimo para um apto de 3 qtos (apesar de construtoras venderem aptos de 3 qtos com 67m2 atualmente) temos que o seu apto custou 660.000. Considerando que a renda bruta familiar seja de 20000 reais e que vocês tenham dado a entrada mínima de 168000 para um financiamento de 30 anos na caixa com esta renda familiar teremos uma prestação de 5850 R$ por 30 anos para você e seu marido pagar, corrigidos pela TR.
Acho que você é um fake e está mentindo por causa disso. Sua prima não pode estar pagando um aluguel de 5850 em um apto de 3 qtos no plano. Isso não existe. Portanto vou manter seu comentário para os demais verem como é irracional investir no mercado imobiliário neste momento e, ainda, as estratégias que os corretores usam para tentar empurrar empréstimos vitalícios para as pessoas.

Renata disse...

Boa tarde Pedro,
Vou por partes. Não sou nenhum fake e nem um corretor disfarçado. Meu nome é Renata, e eu e meu marido somos médicos da iniciativa privada e pública.
Peço-lhe que releia meu comentário. Não falei que meu apartamento tem cerca de 100m², porque ele tem 03 quartos (01 suíte), varanda, DCE completo e tem sim 126m².
Coloquei também que não sabia se tinha feito certo ou errado, por isso até concordo com você quando diz que eu comprei caro, mas a qualidade de vida que ganhei é inestimável.
São aqueles prédios mais novos, com lazer completo, tudo novo, elegante, construído com segurança. Por isso paguei tão caro. Comprei na planta em uma das mais valorizadas quadras do Plano Piloto. Perto de tudo e bastante arborizada.
No plano da construtora, aquela que é dona de quase 90% dos terrenos do Plano Piloto, paguei durante a construção o equivalente a 30% do valor do imóvel.
Para financiar ficou o que a CEF exige, 70%. Como a minha renda e de meu esposo é alta para os padrões brasileiros (Salário mínimo R$ 510,00), cerca de R$ 20.000,00 líquidos (acho que é alta para o nível de vida aqui não é?), e como somos novos em idade, a nossa prestação ficou como te falei, o valor de um aluguel de um apartamento grande e antigo.
O meu apartamento foi financiado em 20 anos. Todo mês, a prestação fica mais barata, depois do ajuste mensal da TR. Na outra ponta, o aluguel sobe ano após ano corrigido pelo IGPM. Aqui, o aluguel da região em 6 anos será mais caro que a prestação que pagarei na mesma época.
Acabo de visitar um site onde são anuciados imóveis para alugar e o preço de um apartamento semelhante ao meu, mas sem área de lazer, está em torno de R$ 3.500,00 a R$ 4.000,00, na Asa Sul.
Depois disto, durante 18 anos, terei despesa menor com o financiamento que teria se pagasse aluguel. No final, terei um imóvel e mais dinheiro que se partisse para a estratégia do aluguel.
O valor do aluguel não pode ser tão caro, senão o financiamento torna-se mais vantajoso, nem tão barato, porque não vale a pena alugar. Para mim, está elas por elas.
Considerando que eu e meu marido estamos na casa dos 32 anos, com mais 20 de financiamento teremos um imóvel quitado e nosso antes da nossa aposentadoria, com 60 e 65 anos cada um, ou por tempo de serviço, o que for melhor para nós dois.
Não entrei em um empréstimo vitalício. Não investi em imóveis. Eu e meu marido compramos a nossa “casa própria”, não estamos jogando dinheiro fora, esperando o estouro de uma bolha que vai haver sim, sem dúvida, mas não se sabe daqui a quanto tempo (01 mês, 01 ano, 03 anos, 10 anos... o futuro a Deus pertence não é?).
E o meu medo era justamente esse, quanto tempo até essa bolha estourar? Quanto tempo eu teria que ficar esperando isso acontecer para poder sair do aluguel, esse sim, que alimenta a ganância de tantos se aproveitando da falta de condição financeira da classe média média, para comprar sua casa própria e fica pagando aluguel, alimentando toda essa especulação imobiliária, comprando na planta por um preço e ganhando no ágio que vende super-faturado.
Não, eu e meu marido pensando em nossos filhos, pensando em um futuro mais tranqüilo quando completarmos 60 anos, decidimos arriscar, e por enquanto estamos felizes, satisfeitos e tranqüilos. A mensalidade cabe em nosso bolso folgadamente e sem perder a qualidade de escola, lazer, plano de saúde, alimentação nossa e de nossos filhos.
Decidir esperar o final da feira, para comprar na xepa, é uma escolha particular de cada um e eu respeito pois não sei da realidade particular de cada trabalhador.
E antes que você fique “zangado” pelo meu comentário peço-lhe encaricidamente desculpas. Só escrevi porque achei que o espaço era aberto para opiniões contrarias as suas, pois percebi que responde com rispidez a todos os comentários que não corroboram com sua opinião.
Desculpe mais uma vez por pensar “diferente” de você.
Me despeço da mesma maneira: O futuro a Deus pertence.
Renata
Médica, cidadã moradora de Brasília, que não é fake e nem corretor disfarçado.

Jorge disse...

Olá Pedro, sou Jorge sou corretor de imóveis em Brasilia, sou gaúcho morei em Salvador, mas já morei em vários estados, a bolha é falada a décadas principalmente após o susto de passar por uma inflação descontrolada, a população ficou receosa ao investimento imobiliário, mas no seu caso não é isso, você infelizmente está mentindo quanto ao seu aluguel, pois por mais velho que seja um apartamento na ASA Sul de 2 qtos 96m² não é menos de 1.800,00 com a fiação do tempo do JK, o que se passa com você é que você têm um salário de no mínimo 6 mil reais e gosta de morar perto do seu trabalho, mas claro que tudo tem um preço e se ele é alto para você melhor criticar o mundo por ser capitalista do que tentar almejar um rendimento maior, nosso sistema financeiro é sólido e em Brasilia.
Só para você refletir, some todos os alugueis que você já pagou, agora faça uma projeção da sua "bolha" quantos mil reais você terá pago até a sua "bolha" aparecer? Somado isso o seu futuro apartamento vai sair barato ou caro?
Amigo não seja assim se você não pode comprar, não semeie dúvidas nas cabeças dos outros.
Boa Sorte e que um dia você consiga comprar e ai quero saber se você vai pensar que seu apartamento vai baixar o preço ou subir.

Daniel disse...

Pedro, você viu a matéria absurda do correio braziliense de hoje. O título é que imóveis no plano piloto são como um copo d´água no deserto. Impressionante!!!!!abraços.

Ruth disse...

Daniel, eu concordo com o Correio, mesmo que seja uma matéria paga pelas construtoras. Estou tentando comprar uma kit para alugar para não deixar meu dinheiro parado e não consigo encontrar.
Abraços,
Ruth

Marcio disse...

Engracado... leio os comentarios e escuto exatamente o que foi dito aqui nos Estados Unidos. Em miami aonde eu moro... era a mesma ladainha que os imoveis nao vao baixar, etc...

entre 2006 e 2008 nao soh baixou... despencou...

eu comprei a minha casa em 2008 por 300 mil dolares que foi comprada pelo dono anterior por 460 mil... hoje eu ainda perdi algum dinheiro pois a minha casa vale depois do ajuste final do mercado cerca de 250 mil dolares.

A sorte que eu tenho aqui eh que o meu emprestimo tem juros fixos de 4.9% por 30 anos ou seja... o efeito inflacionario vai minimizar muito qualquer problema que eu tenha com a casa e a minha ideia e ter esse imovel aqui pra sempre.

Me estou preparando pra voltar ao Brasil e tenho pesquisado o custo de imoveis ao redor de SP - Jundiai, Sorocaba, Vinhedo... jah que vou pra SP a trabalho e moro fora da cidade pela minha familia, filhos etc.

Vejo imoveis de qualidade semelhante a minha casa aqui e os precos me parecem absurdos tomando em conta a realidade brasileira... $650 mil reais..$700.. $600... um absurdo considerando o salario no Brasil e a taxa de juros absurda cobradas no mercado brasileiro... A minha pergunta pro Forum eh a seguinte...

- a minha renda liquida no Brasil sera de ao redor de $13 mil reais... realisticamente quanto eu deveria investir em moradia? (conservadoramente falando)...

- com essa mesma renda... o maximo que eu deveria pagar pela minha casa seria $3900 reais por mes (30%)... faz sentido... que tipo de imovel eu compraria com esse valor...

Me impressionam os precos em brasilia.. a minha familia vendeu um apartamento na 204Sul fazem 2 meses por 750 mil... o apartamento eh pequeno apesar de ser 6 andar... mas eu achei o preco grotesco... como estava quitado pelo meu avo que infelizmente faleceu... a minha mae e tios o venderam com parte do cepelio.

eu acredito na bolha porque eu nao vejo como os precos se mantem com os salarios nos niveis atuais. O meu plano e voltar ao brasil alugar - comprar um terreno e construir... o que voces pensam disso.

Anônimo disse...

Olá,

Como estou receoso com relação à aplicação do meu dinheiro resolvi ler os comentários deste blog para saber a opinião das pessoas que investem em imóveis aqui em Brasília.

Esperava encontrar aqui opiniões imparciais sobre o mercado, mas confesso que fiquei bastante chateado ao perceber que algumas pessoas não praticam uma discussão saudável e sequer toleram opiniões contrárias às suas.

Por um lado acho fácil criticar o investimento em imóveis (que claramente tem seu retorno) sem sequer apontar as alternativas.

Já sob outra óptica, é perceptível que o INVESTIMENTO em imóveis que não sejam para moradia é uma opção apenas para aqueles que já tem sua residência própria e dispõe de uma quantia relativamente alta para iniciar.

Obrigado.

Pedro Júnior disse...

Bom, estou voltando de férias e vou responder alguns comentários: Anônimo do dia 10/01, em nenhum momento este blog pretendeu ser imparcial, muito pelo contrário, olhe o título do blog. Caso você esperasse ler artigos estimulando a compra de imóveis com preços de bolha veio ao lugar errado. Quanto à falta de tolerância e de discussão saudável eu discordo, simplesmente não tolero comentários de pessoas estimulando a compra de imóveis pois os mesmos, em momento algum, apresentam argumentos econômicos que justifiquem a aplicação. Apresentam apenas elementos como o preço nunca abaixa, a valorização será de 20% ao ano, entre outros. Isto não tem fundamento. Outros comentam apenas para contar vantagem dizendo que comprou por x e agora vale 3x. Isso é golpe de sorte e quando a bolha estourar veremos quem estava certo. Se não gostou do blog procure outros, de preferência de corretoras. E obrigado pela visita.

Pedro Júnior disse...

Jorge corretor,
Discordo totalmente de você. Não falamos em bolha há décadas. Muito pelo contrário, falamos da bolha de imóveis em Brasília desde 2005/6 quando ela começou a ser notada. Informe-se melhor. Quanto ao valor do meu aluguel, que não é falso como você afirma, posso dizer o seguinte. O apartamento é alugado por meio de imobiliária. O valor, quando escrevi o texto, era de 1500,00 (contrato do final de 2009) e foi reajustado ano passado para R$ 1610,00. Só não te passo o contrato por e-mail pois não preciso te provar nada e nem lhe devo satisfações. Quanto ao fato de o edifício ser velho e com fiação antiga isso não é problema meu e sim do proprietário. Do mais, passar bem e aproveite o bom momento para os corretores. Ele está próximo do fim.
Abçs,
Pedro

Pedro Júnior disse...

Daniel,
O correio braziliense tem sido ótimo para limpar os vidros aqui do apartamento. Quanto às matérias pagas sobre imóveis, lamentável, mas é disso que os jornais vivem hoje em dia.
Márcio,
Legal seu depoimento. Só confirma o que tenho lido nesses anos em que passei a estudar a bolha. Vou publicar teu comentário no blog.
Um grande abraço,
Pedro

Daniel disse...

Pessoal,
Tinha anotado em minha agenda o preço de 3 lançamentos de uma grande construtura de Brasília em dez/09, quando estava procurando investir em um APTO. Acabei adquirindo um deles, com a promessa do corretor de mais de 100% de lucro. Obviamente, não acreditei nesse lucro todo, mas se desse 20% eu já ficava feliz. Bem, agora fiz a comparação dos preços. Após 13 meses, o que comprei deu um rendimento de 5%. Os outros dois lançamentos (ficam no Guará 2) tiveram um ganho de 7%. Não estou decepcionado por causa disso, pois o apartamento que comprei foi para investir e não para morar. Ainda estou procurando um imóvel para morar e espero que a loucura acabe o quanto antes e os preços voltem a patamares reais para que consiga fazer isso.
Abraços,

Anônimo disse...

Bom dei uma lida em alguns comentários...

Só falo o seguinte.. Tadinha da Renata..

Ta pagando uns 2 Milhões em 20 anos, não sabe nem quanto é a prestação que paga e logo seu apartamento vai valer 500 mil... =/

Anônimo disse...

Renata,
Parabéns por sua compra, mas creio que vocês não fizeram um bom negócio.
O problema de 99% da população é que ela não realiza cálculos matemáticos. Não é possível dizer que a prestação é o valor do aluguel e ponto final. Pelo que você falou e pelo cálculo que fiz, seu apartamento foi comprado por R$ 838.200,00 (127 metros x 6.600). Se você pagou 30% de entrada, pagou R$ 251.460.
Logo, o raciocínio correto é você fazer o cálculo de quanto esse valor da entrada poderia te render por mês (pense numa aplicação conservadora, como títulos públicos). Não se esqueça dos juros compostos. Na pior das hipóteses, você teria um rendimento inicial de R$ 2.000 por mês. Esse rendimento, ao longo dos 18 anos, cresceria consideravelmente. Então, seu desenbolso mensal real é o valor da sua prestação, somado ao valor desse rendimento mensal, que só iria crescer durante os anos. Agora imagina quando essa bolha estourar ou os preços se estabilizarem por uns 10/15 anos, o valor que você e seu marido terão deixado de ganhar.
Por conta disso, atualmente prefiro alugar do que comprar. Apesar de os aluguéis em Brasília estarem muito caros atualmente, ainda assim vale mais a pena.
Abraço.
Leandro (servidor público em Brasília)

Daniel disse...

Ruth,
É só ir no Wimoveis. Tem mais de 200 anúncios de Kitinete pra vender na Asa norte.

Anônimo disse...

Sabemos que o déficit habitacional em Brasília é alto. Mas questiono: será que é tão alto para imóveis acima de 200 mil reais? Será que tem tanta gente procurando imóvel de 2,3 e 4 quartos? Será que a renda de quem procura está adequada? Será que em Brasília todo mundo ganha 15mil reais por mês e está procurando um apto parar morar? Pagar 1 milhão num apto com tamanho medíocre? (me desculpem, mas 1 milhão é 1 milhão, ou perderam a noção do dinheiro) Não sei, tudo anda muito estranho na nossa capital.

Anônimo disse...

Outro dado curioso é o que foi postado hoje no Correio Braziliense (o jornal amigo dos construtores e corretores):

No mercado de imóveis do DF ainda há 60 mil casas e apartamentos fechados, 10 mil a mais que em 2010.

Ao ler esta reportagem, a minha constatação na prática estava correta: muita gente comprou imóvel para especular, acreditando na alta eterna.

Não quero discordar do Correio, nem dos corretores, mas convenhamos: valorização de 20-25% ao ano? Todos os anos? Até quando? Já pararam para pensar, que se tal valorização continuar, simplesmente daqui a pouco, ninguém terá condições de comprar imóveis no DF?

Pois os salários dos servidores serão congelados por 10 anos, como promete projeto de lei no Congresso, a taxa de juros para imóveis acima de 500 mil é alta, e mais, existe o risco de escassez de dinheiro para financiar imóveis a partir de 2013 e 2014.

Os preços podem subir, sempre, mas chegará um momento crucial: falta de dinheiro no mercado, na ciranda imobiliária.

Anônimo disse...

Quanto ao metro quadrado em Aguas Claras, cada um paga o quanto quer: apartamentos amplos, um pouco mais antigos, sem engarrafamento nos elevadores (12 andares), por R$ 3.500,00 ou apartamento na planta, prédios de 20 a 30 andares, quartos minúsculos, mas com varanda gourmet, spa, sala vip, home cinema, e todas as frescuras que ninguém usa (mas serve para aumentar o valor do condomínio) por R$ 5.500,00.

Observação: R$5.500 é o preço de hoje, sem falar o reajuste pelo INCC durante a construção, então coloque uma dívida reajustada cerca de 15% até a entrega, sem falar nos 1% + IGPM após a conclusão da obra. Se couber no seu bolso, pague. Se tiver juízo, compre imóvel pronto.

Afinal, ainda temos o risco de uma nova ENCOL (os moradores antigos do Setor Sudoeste - que compraram os apartamentos nos "Porto" e Maison" sabem do que estou falando)

Anônimo disse...

Bem diverso o perfil de comentários aqui. Legal isso.

Talvez a única coisa que faltou ponderar aqui é que o mercado imobiliário é um mercado. Tem seus altos e baixos, nenhum sobe indefinidamente - e, quando sobe de maneira excessiva, haverá correção na direção inversa.

Brasília é muito influenciada pelo salário dos servidores, quase tudo aqui é meio que atrelado a ele. Como comentaram acima, se houve arrocho, isso afetará muito a evolução de preços dos imóveis.

Fiquei bastante impressionado com os comentário de uma tal Renata acima. Parece querer se justificar e tornar público seu sucesso.

O fato é que ter feito um bom negócio no passado não significa que esse negócio permanece vantajoso hoje. O conceito de custo de oportunidade esclarece isso: hoje, se eu compro um imóvel, tem-se 2 opções: ou espero ele aumentar de preço, ou o alugo. No primeiro caso, vale o célebre princípio "rentabilidade passada não é referência para a futura" - fica por sua conta e risco; no segundo caso, é um PÉSSIMO investimento financeiro, pois não se consegue nem alcançar a poupança em 1 ano, sem contar a depreciação do imóvel.

Abgail disse...

Bom dia a todos,
Estou escrevendo aqui porque quis dar minha opinião, mesmo não interessando a ninguém.
Quero primeiro dar os parabéns a Srª Renata e seu esposo, se uniram e realizaram seu grande sonho que foi adquirir seu imóvel. Tendo condições de adquirir acho válido. Tendo condições de manter um apartamento desse acho válido, nesse sistema da CEF, o SAC – Sistema de Amortização de Crédito onde as prestações vão diminuindo, mesmo que o imóvel se desvalorize em algum momento, ele continuará a ter o seu valor. Eu só queria ter condições de comprar o meu e cair para dentro, deixando de sustentar essa especulação em que alguns “endieirados” compram para investir e vivem dos seus alugueis. Pergunto: estão errados? Estão? Não sei, não sei, como se diz na minha cidade no interior da Bahia: “sobe nas paredes quem tem as unhas maiores”.
Eu, pelo meu lado de servidora pública que estou na média da maioria dos funcionários públicos em termos de salários medíocres com relação à realidade de Brasília, mas bem acima de outros salários públicos no resto do país, fico aqui torcendo por essa “bendita bolha imobiliária”. ESTOURA LOGO VAI! Eu preciso que ela estoure. Estou com um dinheiro, guardado a muito custo para comprar minha casa própria. Disse comprar e não investir. Na minha ignorância acho que tem diferença entre comprar para morar e comprar para investir, não tem? Como comprar para vender o ágio, ou para alugar...
É engraçado que tenho condições de pagar um aluguel razoável, no Plano Piloto, na Asa Sul, os prédios são mais velhos, os alugueis são mais baratos, mas não tenho condições junto a Caixa Econômica Federal de financiar com o meu salário a minha casa (apartamento próprio). Fazem um monte de cálculo, vire e mexe e olham para mim dizendo que não tenho condições de pagar a mensalidade de um apartamento. Levei meus recibos de alugueis de 02 anos, provando que tenho condições de arcar com um aluguel de 03 quartos, então consequentemente tenho condições de pagar as prestações, tenho emprego estável, nome limpo, sem restrições, tenho 35 anos, 01 filho, mas ainda assim não me liberam o financiamento alegando falta de capacidade de pagamento, e olha que já fui em diversas agências da CEF. Sabem o que me oferecem? O entorno, NADA CONTRA, adoro todas as cidades, conheço todas, já fui e vou sempre em todas, tenho amigos que me convidam sempre para visitá-los, mas colocando na ponta do lápis, o que eu gastaria comigo e com meu filho em termos financeiros e em tempo, é preferível morar no Plano Piloto...continua (parece uma série não é?)

Abgail disse...

O que me resta se não me enquadro em nenhum programa do governo para ter subsídios para financiar meu apartamento? (Minha casa minha vida). Resta me unir a vocês e torcer por essa bolha, para ver se nós da classe média média teremos condições de adquirir a nossa casa própria. Porque os ricos (Srª Renata?) compram mesmo, alimentando toda essa especulação e não estão nem ai. Podem comprar, comprem, podem pagar? Que paguem, podem mesmo com uma prestação alta manter seu padrão de alta qualidade de vida? Que paguem, não quero nem saber se pagou caro ou se vai continuar a pagar. Se tem dinheiro para comprar, que compre! Paga caro quem quer, quem pode. Eu não pago porque não posso mesmo, e olha que eu já tentei e não me deixam.
Desde 2008, quando estorou a bolha lá no país daqueles ianques, que eu ouço que aqui também vai acontecer o mesmo. Durmo e acordo todos os dias querendo uma notícia dessas, mas nada, nada. E os preços só subindo que nem loucos.
Agora, falando honestamente, que tenho “inveja” de quem tem condições de comprar seu apartamento, casa, de realizar seu sonho, seja pelo preço que for, há, isso eu tenho (rssssss). Como falei, se pode pagar agora, pra que ficar pensando que laaaaaaaaaá no futuro o valor do imóvel vai cair e que ele pagou caro e continuará pagando caro? Acho que em certos casos o benefício é mais vantajoso. É muito legal, gostoso mesmo, poder fazer reformas, mudar, escolher pisos, decorar como quiser o seu cantinho, ver o sol nascer da sua janela, nossa, deve ser muito bom, e pagando isso com traquilidade deve ser melhor ainda.
Por isso fico aqui torcendo toda manhã para o Corrreio Brasiliente, que conforme foi dito, é o jornal amigo dos corretores e construtoras, publique de cara “BOLHA IMOBILIÁRIA ESTOURA EM BRASÍLIA”, PREÇOS DOS IMÓVES CAEM VERTIGINOSAMENTE.
Eu quero acreditar nesse dia, eu acredito que esse dia vai chegar, nem que leve cem anos, ele há de chegar, só quero estar viva para poder comprar meu ap e deixar de “herança” para o meu filho e que ele não sofra como eu tenho sofrido com essas incertezas imobiliárias.

Lucas Arruda disse...

Obrigado pelo texto.

Realmente é algo que a gente vem notando. Vários economistas famosos tem falado isso nos livros e olhando pelo seu texto, podemos ver que não é mais tão difícil compreender este fenômeno.

Em BH vivemos algo semelhante. Em 6 anos os preços mais que duplicaram. Um apartamento de 250 mil hoje já custa mais de 600 mil e vende muito fácil. Porque? Porque todo mundo quer investir em imóvel achando que isto é a última coisa do momento e porque está bem mais fácil conseguir crédito.

Em uma pesquisa bem recente, pude notar que o preço do aluguel, embora esteja subindo também (obviamente se o preço do imóvel sobre, o aluguel também), está entre 0,6 e 0,8%. De modo que um financiamento de um imóvel pequeno aqui tiraria um grande fatia do meu salário enquanto o aluguel tira bem menos e essa diferença é bem grande.

É claro que todos os corretores aqui falaram que o negócio é uma bala de prata e que não há como perder, mas é porque o mercado está altamente vantajoso para eles. O corretor que vendeu um apartamento para meus pais a uns anos atrás agora chegou com um oferta imperdível para a gente e minha mãe chegou até cogitar vender, mas se vender tem que comprar outro, que também será caro ou alugar, o que ela não quer, pois quer um lugar fixo.

O grande problema que vejo com o aluguel é estar na mão de proprietário que pode querer aumentar para valores absurdos, mas em compensação, além do dinheiro economizado e que investido pode fazer o aluguel compensar, ainda é poder se mudar para um lugar melhor e com isso além de morar perto do seu emprego, poder mudar para um região com melhor custo benefício ou uma região melhor.

De qualquer maneira, sempre questione verdades da mídia, do mercado e que as pessoas falam por aí. O bom investidor sempre diz que dinheiro na mão é lucro, pois pode ser investido e o bom investidor consegue trasformar dinheiro em lucros. E liquidez é sempre importante.

Anônimo disse...

Alguém aqui tem uma noção de tempo pra que isso ocorra?
Estou prestes a comprar meu Consultorio e já etou esperando a bolha arrebanhar há um ano. Sei que as coisas não andam bem pro setor imobiliário pois as vendas simplemente estagnaram.
Estou esperando a hora que esse pessoal que investiu pesado ter que vender o ágio e não achar pra quem vender.
Ganho relativamente bem e não estou com cortagem de comprar pois sei que a casa vai cair a qualquer momento. Imagina que nos próximos dois anos.
O que acham?

Sandro disse...

Bom, noção de tempo é que ninguém tem a respeitquano dessa bolha. Eu, enquanto corretor que sou, essa é minha profissão a dez anos, só tenho visto os preços subirem. Uma sala para consultório em um determinado empreendimento no Plano Piloto eu vendi a um ano atrás por um preço, no mês de janeiro/2011, vendi o ágio dessa sala para um advogado que também esperava desde 2008 a bolha estourar, com uma valorização de 25%.
Comprou, recebi minha comissão que é a remuneração pelo meu trabalho, mas quem ganhou mesmo foi o investidor, e ele, o advogado, não querendo pagar mais aluguel comprou reclamando muito, mas no final viu que quem vacilou foi ele. Ficou dois anos pagando aluguel esperando a tal bolha estourar e acabou foi comprando mais caro.
O que ele aprendeu com tudo isso? Que agora será um investidor, e quem não compra imóvel é quem não tem dinheiro.
Eu, enquanto corretor, vou vendendo meus imóveis e discordando do anônimo ai em cima, eu não sei dizer se o setor de saúde estagnou porque não trabalho na área, mas como sou corretor e trabalho vendendo imóveis, sobrevivo disso, posso garantir que de estagnado não tem nada.
Compra imóvel quem tem dinheiro para comprar e capacidade financeira para pagar.

Anônimo disse...

Aos que não acreditam em uma bolha imobiliária no Distrito Federal:

acesse o link abaixo e vejam as fotos de um "belo" apartamento anunciado na Asa Norte... Quem não for de Brasília não irá acreditar.... UM MILHÃO CENTO E OITENTA MIL por essa maravilha!

http://www.wimoveis.com.br/venda_imovel.aspx?guid=FD992C90-BE29-4218-A227-D8342BC9F4E3#

Marcio disse...

o estouro da bolha vai começar por aquelas favelinhas do Park Sul, fundadas no ágio. acompanhem!

Anônimo disse...

Ali no Park Sul é uma favela mesmo, e carissima!
Tomara que a bolha comece a explodir por ali, pelo setor de oficinas do Guará.

Anônimo disse...

O Marcio ai está torcendo para a bolha explodir logo para ele, finalmente poder ocmprar um apartamento na favelinha do Park Sul porque nos preço atuais ele não poderá nunca, não ganha o bastante para isso, kkkkkkkk. Vai esperando!!!!

Marcio disse...

Anônimo, falo favelinha pois, diferente de você, tendo estudo e conhecimento sobre economia, sou diplomata e, assim, não só tenho salário acima de R$ 10 mil líquidos, quanto direito a apartamento funcional no Plano Piloto. Não estou minimamente preocupado com os preços. Continuarei vivendo na casa que minha família tem no Lago Sul - e, depois, nos excelentes apartamentos do Itamaraty - até os preços esmaecerem.

Conheço a realidade do mercado imobiliário de muitos países - do atualmente deprimido mercado americano ao inflado mercado de Angola. Chamo o Park Sul de favelinha porque o que é feito aqui em termos arquitetônicos e chamado de "premium" é uma bela porcaria (sim, eu, diferentemente de você, conheço também arquitetura, e sei que são materiais, plantas e acabamentos péssimos). Você nunca visitou Cingapura ou Nova York, então não tem ideia do que é realmente "premium".

Continue financiando sua favelinha com seu carro 1.0 também financiado na garagem. Estarei no Lago Sul, esperando esse papo furado de corretor provinciano passar.

Faça a sua parte, fique de boa.

Anônimo disse...

Prezado "DIPLOMATA MARCIO", não precisava se ofender "tanto".
Mas acredito em tudo que você falou, pode apostar que acredito, como acredito em PAPAI NOEL, COELHINHO DA PÁSCOA, DÍVIDA EXTERNA DO PAÍS DO QUAL VOCÊ É DIPLOMATA, TOTALMENTE PAGA, COMO ACREDITO NA DILMA, NO CELSO AMORIM, enfim acredito em cada vírgula que você falou...
Morando tão bem, ainda assim recomendo que mantenha a calma para não infartar, e fique ai esperando os preços esmaecerem e continue não não acreditando nesse papo de corretor proviciano passar porque eu também não acredito. Um abraço, e repito, um diplomata infartado e morto não vai ter serventia nenhuma para o país.
Obs. Sou seu vizinho no Lago Sul, se é que você é moradora da casa do papai e da mamãe nas QL!!!!!!!

Atento disse...

O que puxou e ainda puxa os preços para cima? Ora, demanda.
O problema é que a demanda é 'artificial', ou seja, 'maquiada'. Só se sustenta pela pressão daqueles que mesmo cientes de que o bem não vale o que anunciado, financiam essa maquiagem, arcando com os custos de imóveis vazios.
Ressalvado algum evento exógeno na economia, é saber até onde vai o fôlego dessa turma, que todo dia fica de olho no anúncio do vizinho, preocupado se o preço estabilizou ou vai baixar. A maioria não está preocupada com o efeito global dessa falsidade toda, especialmente para as camadas mais humildes, que também vêm assistindo ao galope dos imóveis. Preocupam-se apenas em ganhar o máximo, no menor tempo possível. Parabenizo o blog pela iniciativa, que divide os leitores em parceiros do lucro pelo lucro e parceiros do direito ao justo acesso à moradia. Não vou criticar nenhum dos lados. É questão de escolha e pronto, com seus ganhos e perdas, em âmbito individual e social. Oremos.

Eng. Guimarães disse...

Olá Pedro Júnior, ótimo post. Estou iniciando um blog sobre o tema e tive a liberdade de citar o seu artigo, ok?
Dá uma passada lá e registre sua opinião.
[]s

http://crisedodolar.blogspot.com/

Anônimo disse...

Boa noite, parabéns pelo espaço.

Achei bacana.
Se me permitem, tb sou func pub em Brasília e tenho um financiamento aprovado na CEF. Mas, pensei, tomando por base Aguas Claras. É muito mais barato comprar apto usado (já vem com armários e etc) do que novos. Usado encontramos muitos sendo vendidos direto com o proprietário ao preço de 3 a 4 mil o m quadrado, enquanto novos está entre 5 e 7 mil.
Muita gente paga o mínimo possível de entrada ou sinal e paga o menor valor para repassar o ágio com 30 a 120% de diferença. Isso é especulação. Ainda que as corretoras digam que é investimento, não é, pois investir é pagar, seja o preço que for, para morar ou alugar.
Para as corretoras, ainda que haja em seus corpos de trabalhadores gente nossa (aliás, tenho parentes no ramo) ao se vender um imóvel, seja o preço e a finalidade q for já fez sua parte e arrumou seu $$.
A bolha imobiliária já é uma realidade, vejam a quantidade de faixas anunciando o noroeste a partir de R$ 6.500,00 o m quadrado. Antes era de 8,5 a 12.000 reais.
Assim, eu não vou pagar pra ver.
Marc

Guilherme disse...

Noroeste a R$ 6.500,00 É MENTIRA! Isso aconteceu a 02 anos atrás. Hoje o menor preço que se acha lá é de R$ 8.500,00 e olhe lá, estão criando uma área econômica igual ao Sudoeste. Esse valor de R$ 6.500,00 é oferecido para as coberturas, nos demais andares é a partir de R$ 8.500,00, R$ 9.000,00. Essas faixas são da parte podre dos corretores que fazem propaganda enganosa e atrai os compradores atráves dela para depois mostrar o valor real, aconteceu isso comigo.
Algumas construtoras estão com péssimos empreendimentos lá criando uma área econômica que não é para existir. Conheço o projeto do bairro, sou arquiteto, se tudo o que for prometido lá for realmente realizado o bairro depois de pronto vai valer muito mais do que vale agora. Tem gente que vai ficar rico investindo ali, assim como teve investidor que ficou rico com o Sudoeste. O Noroeste agora é chamado de "barroeste", mas imaginem aquilo ali pronto... Salve-se quem puder, QUEM PUDER MESMO MORAR ALI, tem que ter bala na agulha, e isso é desde já, não adianta reclamar de especulação não... infelizmente quem tem dinheiro vai comprar e vai ganhar mesmo, como a anos atrás ninguém acreditava em Brasília e se dava lotes e mais lotes pedindo por favor para as pessoas virem morar aqui. Quem ganhou ou comprou nos anos 60 hoje ri, e ri muito a toa.
Deus salve a America do Sul...

John disse...

Uma coisa é certa: no momento em que a farra do crédito acabar quero ver quem vai ter dinheiro e disposição de pagar 200 mil em um "gavetão" de 27 m², ou mais de meio milhão de reais em um apartamento pequeno de dois quartos.

Anônimo disse...

Excelente blog e postagem.

As pessoas estão pagando 280 mil na asa norte pro 35 metros quadrados.

Daqui a pouco, o espaço de um banheiro, vai custar 1 milhão de reais.

Ridículo.

Brasília não tem toda essa qualidade de vida pra exigirem tal preço. Aqui tudo é carro.

Roberto disse...

Caramba! Não é por nada não, mas eu gostaria de saber aonde está acontecendo essa farra. Sou fucionário concursado do GDF, ganho R$ 6.000,00 bruto, tenho 26 anos, casado, sem filhos e não consegui financiar um apartamento de R$ 250.000,00 em Águas Claras, de 02 quartos, com 60m².
Só tive liberado o valor de R$ 116.000,00 e com uma prestação de R$ 1.800,00. Com esses valores aprovados não consigo comprar minha casa própria. Pelo amor de Deus onde é essa farra? ONDE???

Sérgio disse...

Faço a mesma pergunta do Roberto: aonde é que está acontecendo essa "farra de crédito", porque com o meu salário bruto de R$ 10.000,00, 30 anos, solteiro, sem filhos, sem nenhum financiamento qualquer e servidor público federal, só consegui aprovar R$ 235.000,00 e ai deu para comprar uma gavetinha de 02 quartos, 01 suíte de 57m² em Águas Claras.
Me informem por favor!!!!

carlos cesar disse...

aqui em bh tambem subiu demais . sera que tem tanta gente ganhando tanto dinheiro assim? com certeza nao acretido que os preços subirao mais .

Anônimo disse...

Olá q maneiro este espaço...

kkk ontem falei com um amigo q é corretor e ele disse que bom é ser corretor e para toamr cuidado com comprar apto para passar o ágio, pois a venda está muito difícil e quando o cara n consegue passar passa o maior sufoco na hora de financiar permanentemente, por que a cef não tem como aprovar o restante muito alto fetando apenas 30% da renda da pessoa.
ex:
apto 1,000,000,00
durante a obra 300,000,00
cef 700,000,00

para financiar 700 mil e comprometer apenas 30 por cento, quanto deve ser a renda do cara?

Vamos ser corretor... os contribuintes q se virem depois com a cef. Repassem com prejuízo ou se danem.

Anônimo disse...

Achei muito elucidativo o artigo.
Já venho percebendo há meses que está havendo o estouro de uma bolha.
Estou tentando vender um apartamento na asa norte para comprar um outro maior.
Todos os corretores que falei e que tentam vender meu imovel dizem que nunca esteve tão díficil vender e comprar em Brasília.
Mencionaram cassos em que os proprietários tiveram que diminuir mais de 30% do valor inicial para se tronar competitivo.
Ora, só não vê quem não quer.
Esse papo que os preços continuarão a subir em Brasília é balela.
Não caia nessa!

marc disse...

Pessoas,

muito bom e educativo este espaço.
Para se saber se um negócio é bom , basta ver se quem vende aplica no mesmo. Não é o q acontece aqui, pois poucos corretores investem no ramo.
Estou pensando em comprar um apê, mas vou esperar. O passarinho verde disse q a coisa vai melhorar. metro quadrado a 4.000 no plano, pois vai faltar compradores.

Anônimo disse...

EXCELENTE post! Parabéns! Tem que ter muita paciência para ouvir tanta besteira de especuladores, malandrinhos, gananciosos, aproveitadores. A bolha está próxima. O preço está nas galáxias.
Ora, o imóvel há muito tempo que não é só para moradia. É pura e simplesmente especulação. Quando a CEF começar a não receber o valor das prestações, vai tomar o imóvel. E esses imóveis farão parte do bolo saturado que já existe.
Em Brasília existe um máfia imobiliária. Vejam o que foi o PDOT de Arruda e Paulo Otávio que usaram toda a máquina para aprovar a lei. Foi para dar moradia para o brasiliense, NÃO! Foi para lucrarem.
Até para enterrar um ente no cemitério virou o diabo! Valor altíssimo do terreno. O você compra o imóvel ou cai quase que na vala dos indigentes.
Os preços não vão sequer estabilizar, vão estourar mesmo! Só NÃO serão atingidos aqueles que já tinham seu imóvel em 2000 e que valiam R$ 70 mil e hoje valem R$ 350 mil. Quando a bolha estourar aqueles não serão atingidos, pois seu imóvel voltará a valer em torno de R$ 90 mil (razoável).
Vocês se lembram de quando os carros valorizavam? Cadê? Hoje, se você comprar um carro zero, ao sair da loja o preço DESPENCA. Quem vivia de compra e venda de carro mudaram de ramo.
Quem está especulando desde 2000 prá cá – está bem. Mas agora não. É um risco, é sorte hoje.
Sintam o PRECIPÍCIO: Você comprou um imóvel de R$ 150 mil. Hoje ele vale R$ 400 mil, MAS você não consegue comprar um melhor, pois este melhor também subiu e custa R$ 1 milhão. Cresceram junto com o seu. Você terá que se desfazer do seu e recorrer a agiotagem mafiosa do sistema habicional brasileiro.
Habitação em Brasília é uma gargalhada. Em Teresina, meu primo recepcionista de hospital, tem sua casa própria. Aliás, em quase todo o nordeste brasileiro o pé está mais ou menos pisando na realidade, ao contrário daqui.
E mais…O preço do imóvel já subia com a inflação controlada, IMAGINA agora com ela disparando.
Ouvi uma mulher dizer aqui (corretora, super parcial – já vendendo seu peixe, ou melhor, protegendo seu emprego, quer dizer – seu interesse lucrativo), que incautos é que se atentam a seu blog. Penso que não! Agora, aqui não tem nenhum bobinho para deixar de defender seu negócio.
Graças a Deus a CEF considerou minha renda insuficiente para comprar um “xizão” do Guará. Ficarei no aguardo. De aluguel mesmo no Guará, mas morando bem. Não vou me atolar em Taguatinha, longe, 2 quartos, apertado (em que o cachorro abana o rabo pra cima por falta de espaço), sufocado, sem poder viajar, sem dinheiro pagando prestação alta, condomínio astronômico sem ter nada – por 30 anos.
Estão vendo outro motivo: a CEF não acompanha, para liberação de crédito, o exorbitante valor dos imóveis. VAI CAIR!
Nem tampouco vou pra Águas Claras, que em pouco tempo vai faltar tudo. Água será o primeiro problema. Ah! O trânsito já começa no elavador. E não está nem 50% habitada. É o maior canteiro da América Latina. Reflitam no monstro que aquilo vai se transformar.
OH, ALFINETE! Não demore muito muito para estourar a bolha desse Leviatã habitacional. Não por mim, mas pelos incautos.
Se eu lembrar de outra coisa volto a publicar.
Pedro é difícil lutar com essa gente. Parabéns pela iniciativa. Coragem. Espero que não desista. Este post já é de domínio público.
P.S.: Agora, Cuidado! Você corre risco de vida, porque você está interferindo no bolso de gente muito grande que pode fazer de tudo para te atrapalhar neste trabalho.
Ulisses

Anônimo disse...

Qto ao assunto, outro dia estive com um corretor q me falou sobre um excelente lç no noroeste, 1ª tabela. "Bom para ganhar dinheiro". Me falou que já ganhou muito dinheiro e está ganhando. Pergunta que n quis calar: "Quantos aptos vc tem?" para minha surpresa ele me disse q nunca teve um , por achar muito arriscado. Fala sério!!! Há dúvidas ainda q a bolha já está aí?
Mais fácil, tranquilo e seguro colocar o $$ na poupança, pois será melhor. Ainda que tenha pouco rendimento, ainda em 2010 teremos os valores atuais reduzidos em, pelo menos, 30%.

Anônimo disse...

Desculpem a minha ingnorância, mas 2010 é passado ou futuro? Pergunto isso porque o anônimo ai de cima disse "ainda em 2010 TEREMOS..."

Anônimo disse...

(Anônimo disse...
Desculpem a minha ingnorância, mas 2010 é passado ou futuro? Pergunto isso porque o anônimo ai de cima disse "ainda em 2010 TEREMOS..."

8 de maio de 2011 05:11)

Postar um comentário



Mais um corretor desesperado....kkkk

Daniel disse...

A bolha vai estourar próximo da entrega da maioria dos imóveis em construção. Principalmente do Noroeste e Guará. Portanto, Minha previsão é 2013.

Outra coisa, se vocês acompanharem no wimoveis verão que alguns imoveis são divulgados com um preço e quando demora a vender o preço abaixa. Um exemplo: vi um terreno no park way quadra 14 ser anunciado a R$ 1,2 milhões. Depois de dois meses está lá agora por R$ 800.000. O que ainda é um absurdo. Quem viver verá!!!!

Daniel disse...

Faltou explicar porque a bolha vai estourar próximo da entrega dos imóveis. Os investidores não vão conseguir vender os ágios, e muitos não terão condições de pagar o restante do imóvel. Um corretor de uma das mais famosas construturas de Brasília me disse a um tempo atrás que 80% dos lançamentos deles eram vendidos pra investidores. Gente que depois vai ter que vender. Abraços.

Daniel disse...

Mais uma dica: quem tem imóvel, além da casa própria, está na hora de vender. Acredito que até 2012 ainda será interessante vender.

Estou em Brasília há 2 anos e mesmo tendo uma renda que considero relativamente boa (familiar de 20.000), não consigo adquirir uma casa razoável. A que sairia mais em conta seria no Guará. Mesmo assim, a partir de uns 800.000, com várias opções acima de 1 milhão. Mesmo assim, não consiguiria financiar esse valor. Então tem alguma coisa errada, ou eu tô maluco. Por isso, acredito que além dos investidores, aventureiros e malucos, quem consegue comprar imóvel em brasília são aqueles que já possuiam imóveis aqui e fizeram uma troca para outro imóvel de maior valor. abraços, e sorte pra todos.

itarana91 disse...

Excelente post.
Eu vim pra Brasília porque passei num concurso público. Tenho que cumprir minha cota de 3 anos para poder me mudar. Eu até que gosto daqui, mas esses preços altíssimos pago não. O valor chega a ser muito artificial. Um proprietário olha para o seu apartamento e fala, vou vender por 800 mil!! Isso sem nenhuma avaliação séria. Se você é amigo íntimo dele e pergunta o por quê do preço ele vai dizer "O meu vizinho está tentando vender por 750 mil, mas como o meu está pintado vale mais!". Chega a ser ilógico.

Kitinete por 150 mil!?!?!? Nunca pagaria isso. Daqui a 3 ou 4 anos estará a quanto? 200 mil? Difícil. Só sei que enquanto estes preços ilógicos continuarem, pretendo voltar para o RJ, pois lá por esse preço compro uma casa bonita e perto do comércio e trem.

E essa coisa de que comprei a 1000 o metro quadrado e agora tá 3 mil, tem que colocar o preço certo na ponta do lápis. Esses financiamentos normalmente mais que duplicam o preço final, fazendo com que os mil reias por metro quadrado financiado virem mais de 2500 reais. Tem que fazer o cálculo direito.

E outra. Esqueçam esse papo de que Brasília é diferente. EUA é diferente, Japão é diferente, e aconteceu isso. Já ouvi dizer que no Brasil nos anos 70 também houve desvalorização. Washington é mais rico que Brasília e os preços lá são mais baratos que aqui. Cuidado para não serem os últimos a pagar a conta.

Anônimo disse...

Daqui pro fim do ano vai ser bolha explodindo pra tudo que é lado no brasil... espero comprar o meu apt com uns 60% de deságio.

Rodrigo Barreto disse...

BOLHA IMOBILIÁRIA?
Entendendo o que é Bolha Imobiliária
Bolha imobiliária é um conjunto da supervalorização (alta nos preços) do bem imóvel, com contínua oferta e demanda no mercado em relação às ofertas creditícias oferecidas pelos bancos, ou seja, deve-se ter uma linha de crédito liberada para compra de imóveis em excesso para cada cliente: prestações maiores do que podem pagar. Em seguida, grande quantidade de imóveis a venda e baixa procura, e a falta dos pagamentos das prestações assumidas junto ao banco pelo comprador. Isso é a “Bolha Imobiliária”! O que, de fato, não acontece por aqui. Aqui, os bancos só liberam crédito no máximo de 1/3 da renda bruta do promitente comprador.

Não passaremos por uma bolha imobiliária por vários motivos. Primeiramente não podemos comparar o mercado individual de cada Estado da Federação, caso isso aconteça teremos que comparar, não somente valores de imóveis, mas também os salários de cada categoria profissional. Quanto ganha mensalmente um professor, policial, funcionário público no DF? E no Nordeste? Não podemos fazer comparações entre o mercado imobiliário dentro do Brasil e, da mesma forma, não podemos comparar o nosso mercado com o acontecido no EUA, a famosa bolha imobiliária, que muito assusta e preocupa alguns brasileiros.

Os valores dos bens imóveis são ajustados pela lei da oferta e da demanda. A procura por imóveis é crescente e os preços dos imóveis aumentam devido à pequena quantidade de imóveis ofertados. A desvalorização dos imóveis se dá com a queda da procura, o que, de fato, não está acontecendo na capital do país. O crescimento da população com renda satisfatória para financiamento e com o aumento da população do DF, pessoas com maiores qualificações são atraida para Brasília em busca de salários mais altos. A cidade tem a maior renda percápita do país, o que mantem o mercado imobiliário fortemente ativo. Assim, os preços irão subir ainda mais, principalmente em Brasília, que têm pouca oferta de imóveis pela quantidade demandada.

O que aconteceu no EUA foi justamente o oposto do praticado pelos bancos e pelo mercado imobiliário brasileiro. Hoje além de termos a economia firme e sólida, contamos com as parcelas pré-fixadas e decrescentes oferecidas pelos bancos. Sensacional!!! o salário aumenta, reajusta-se anualmente, ou pelo menos, tende a aumentar de tempos em tempos. O valor do imóvel também aumenta, valoriza-se normalmente e a prestação do financiamento imobiliário diminui, ou seja, com o tempo o imóvel vale mais, as prestações são menores e o salário do comprador é maior.

O sistema bancário brasileiro é bem diferente do norte americano. O surgimento do PROER, no final da década de 90, deu força aos bancos evitando que fossem à falência. Nos Estados Unidos da América a maior parte dos imóveis era hipotecada, ou seja, o banco vendia o imóvel por meio de financiamento e fornecia novo financiamento sob hipoteca, tendo como garantia o imóvel já financiado. Para se livrar dessas hipotecas, ao perceberem a desvalorização do imóvel pela baixa procura e principalmente por não conseguir pagar as prestações, as pessoas devolviam seus imóveis aos bancos, com isso as empresas bancárias não tinha para quem vender esses imóveis. O resultado? Vários imóveis vazios e sem a rentabilidade, oriunda dos clientes hipotecários, nas mãos dos banqueiros. Não existe, no Brasil, a possibilidade de uma pessoa ter financiamentos além de sua capacidade financeira, o que faz o nosso sistema mais seguro.

O DF está em segundo lugar, no Brasil, em investimentos imobiliários. Não existe bolha imobiliária. Se a razão para não investir em imóvel era essa, fique tranquilo, pois, atualmente, não há negócio mais vantajoso, rentável, garantido e seguro que o mercado imobiliário.

Rodrigo Barreto
Administrador de Empresas atuante no mercado imobiliário pela Buriti Empreendimentos Imobiliário.
Contato: (061)8585-8777 – e-mail: rodrigobarretodf@hotmail.com
http://rodrigobarretoimoveis.blogspot.com

Rodrigo Barreto disse...

O importante é ficarmos atentos a todos os tipos de opiniões, mesmo porque ninguém têm bola de cristal para saber exatamente o que acontecerá no futuro. Assim sendo, não devemos defender nossas ideias e pensamentos sem ter a mente aberta para mudanças de paradigmas. Sempre haverá os pontos positivos e negativos em qualquer negócio. Grato pela oportunidade em participar deste blog. Segue abaixo algumas dicas que gostaria de compartilhar com os demais.

Dica 1: Os valores de anúncios não são, necessariamente, valores de venda. Para termos certeza dos valores de venda devemos recorrer aos registros cartoriais.

Dica 2: Existem muitos imóveis, em Brasília, com preços fora da realidade, imóveis superfaturados. Ora são os proprietários que fazem a avaliação somente com base em anúncios de jornal e internet e, em outros momentos, corretores mal preparados, que supervalorizam os imóveis, para desta forma pagar suas comissões – honorários pela transação imobiliária. Isso só faz o imóvel ficar encalhado.

Dica 3: Comprar imóvel sem precisar recorrer a financiamentos é bem mais vantajoso. Mas financiar imóveis não quer dizer, mesmo que 100%, um mau negócio em relação a pagar aluguel. Aqueles que tiverem dúvida podem me consultar. Posso mostrar que em 7 anos o valor do aluguel estará mais alto que o valor da prestação. E, ainda, certamente o salário do comprador, em 7 anos estará maior, o que não fará com que fique apertado financeiramente, como exposto em alguns comentários.

Dica 3: O valor dos alugueis variam entre 0,3% a 0,55% a.m., dependendo do imóvel. Sendo assim, cuidado na hora de alugar. Os imóveis de menores metragens são os que têm maior rendimento.

Dica 4: Aos que precisam comprar um imóvel financiado: consigo juntos aos bancos, crédito imobiliário. Ex. Valor do Imóvel: R$250.000,00 – Valor da entrada: R$25.000,00 – Valor da 1ª prestação: R$2.584,30 – Última prestação: R$680,80. Renda bruta requerida: R$8.614,33 (Esta última dica é em função dos comentários dos prezados senhores, Roberto e Sérgio, posts comentados em: 13 de abril de 2011 17:23 e 14 de abril de 2011 04:26 respectivamente).

Rodrigo Barreto
Administrador de Empresas atuante no mercado imobiliário pela Buriti Empreendimentos Imobiliário.
Contato: (061)8585-8777 – e-mail: rodrigobarretodf@hotmail.com
http://rodrigobarretoimoveis.blogspot.com

Anônimo disse...

O Rodrigão foi um cara sensato, é claro que puxa a sardinha para o seu lado, mas veja...

ale a pena investir em imóvel agora? Estamos em uma bolha imobiliária?

RESPOSTA DO PROFESSOR DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS WILLIAN EID JUNIOR -Eu acredito que sim. Temos um crescimento enorme na procura por imóveis, alimentada principalmente pela facilidade de crédito que existe na economia brasileira atualmente, o que levou os preços às alturas.
Além disso, sabemos que, para que um imóvel seja considerado um investimento rentável, seu aluguel deve representar algo em torno de 0,6% do seu valor.
O problema é que nós não encontramos isso em lugar nenhum. Os aluguéis, em geral, estão muito abaixo desse percentual. E é fácil ver por que essa diferença entre os dois existe.
O Índice Fipe Zap de Preços de Imóveis Anunciados, que mostra o comportamento de preços de venda de locação de imóveis, revela que nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro o valor dos imóveis subiu, desde janeiro de 2008, quase o dobro do preço dos aluguéis.
Tudo isso sugere que há algum desequilíbrio grande no mercado imobiliário brasileiro atualmente: ou os valores de venda estão muito altos ou os aluguéis cobrados estão muito baixos.
Não me parece que o problema esteja nos aluguéis, já que a renda das empresas e das famílias brasileiras não subiu tanto a ponto de permitir um aumento tão significativo nesses custos.
O problema deve estar, portanto, no preço dos imóveis. E, com isso, podemos chegar à conclusão de que estamos vivendo uma bolha imobiliária no país.
É preciso pensar, porém, que bolhas nem sempre estouram de uma hora para a outra. Esse processo pode levar meses, ou até anos.
Como o governo já começou a impor restrições ao crédito no país -como forma de desacelerar o forte consumo interno que vem pressionando a inflação- e a venda de imóveis novos está diminuindo, parece que já começamos a desmontar essa bolha.

Rodrigo Barreto disse...

Com todo respeito e, ainda sim, não desmerecendo o pensamento do professor, insisto em não concordar, plenamente, com seus conceitos, pois não há nada tão exato que não possa ser alterado.
Na real circunstância, hoje, falo com propriedade, não há vantagem alguma em alugar imóvel, ou, até mesmo, colocar dinheiro na poupança. A poupança lhe rende hoje, *0,6084% a.m. e o aluguel pode chegar a 0,5% a.m. dependendo do imóvel. Vamos dizer, ficticiamente, que realmente o mercado venha a dar uma queda considerável no valor dos imóveis, de 25%a.a. para 10%a.a. Ok! Lembrando que mesmo com queda na valorização, não significa bolha imobiliária. Se somarmos o rendimento mensal do aluguel 0,5% + 0,83% da “valorização” (no caso desvalorização) do imóvel, teríamos um rendimento anual de 15,96%a.a. contra 7,3008%a.a. da poupança. Qualquer economista sabe que rendimentos, na real conjuntura do mercado, investimentos com rendimentos acima de 12%a.a. são extremamente vantajosos. Por outro lado está o aluguel que não dá fruto de nada. É mais vantajoso comprar um carro do que pagar aluguel, mesmo o carro se desvalorizando, pelo menos no final o carro ainda têm um valor venal.
A meu ver, a população ainda não está acostumada com a nova situação do mercado. Há 12, 15 anos atrás não se comprava carro sem entrada, cobrava-se entre 10% e 20% de entrada e parcelava em, no máximo, 36 meses. E, atualmente, ninguém fala de bolha ou crise no mercado de automóveis, mesmo o cliente sabendo que vai pagar 45% a mais, do que a prestação real (sem juros) do automóvel. E, ainda, que o seu automóvel vai desvalorizar, em menos de 5 anos, cerca de 30%. Mas mesmo assim as pessoas compram, isso sim é uma loucura!
Desta forma, acredito que os olhares, negativos, estão voltados para o mercado imobiliário de forma equivocada.

E, esclarecendo, não puxo sardinha para meu lado. Quem age desta forma estará dando um tiro no próprio pé. Está apenas pensando no momento, pensando em curto prazo. O cliente deve ser fidelizado e por meio da consultoria imobiliária, real, o cliente percebe claramente que o corretor, bem preparado, não pensa apenas nas comissões. Tenho uma teoria que gosto muito de utilizar: Quem trabalha pensando no dinheiro, está a caminho do fracasso. O dinheiro é a consequência do nosso trabalho e se o fazemos com prazer, ética e amor isso surge naturalmente.

*http://www.portalbrasil.net/2011/economia/indices_poupanca_diaria.htm

Rodrigo Barreto
Administrador de Empresas atuante no mercado imobiliário pela Buriti Empreendimentos Imobiliário.
Contato: (061)8585-8777 – e-mail: rodrigobarretodf@hotmail.com
http://rodrigobarretoimoveis.blogspot.com

Maria Cristina disse...

Rodrigo,

Parabéns pelas considerações aqui postadas. Concordo com você.
A algum tempo atrás, uns três anos para ser mais exata pensei em comprar um apartamento em Águas Claras na planta, achei o valor do metro² bem em conta diante do tamanho, planta, área de lazer, acabamento, enfim... Mas alguns amigos meus me deram o péssimo conselho de aguardar a baixo do valor desse metro² que não abaixo, e sim só aumentou. Se arrempendimento matasse eu estaria morta e enterrada, pois me dei muito mal na espera dessa tal bolha imobiliária que até hoje não aconteceu e não vai acontecer. Resultado: não comprei o apartamento que eu queria, continuo morando de aluguel, sustentando uma nata de gente endinheira que comprou para alugar e que tem seu imóvel se valorizando e eu fique a ver návios, e justo aonde, em Brasília que nem mar tem. Eu poderia agora estar me mudando para o apartamento dos meus sonhos, mas fui ouvir e ler determinados comentários e agora quem está sem casa própria e pagando aluguel sou eu.
Se posso dar um conselho, quem vai comprar para morar, compre logo, agora, pois os preços continuaram aumentando, e eu não vou mais ouvir conselhos errados. Já adquiri o meu apartamento no melhor bairro de Brasília, 03 quartos, no Noroeste.
E para encerrar favor não me chamarem de corretora disfarçada. Venhamos e convenhamos, relatei aqui uma situação real que aconteceu comigo. O metro² do Noroeste está a R$ 10 mil e não pensem que vai abaixar não, porque não vai. Se posso dar um conselho "QUEM TIVER CONDIÇÕES DE COMPRAR" (dinheiro) que compre logo. Se o meu conselho estiver errado é só seguir.
Maria Cristina (Advogada)

Maria Cristina disse...

Correção: SE O MEU CONSELHO ESTIVER ERRADO É SÓ NÃO SEGUIR (NÃO COMPRAR).
Maria Cristina (Advogada)

Anônimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=2tsKl26Q3o0

opinião inteligente... há dúvidas ainda???

Anônimo disse...

Sra ou Srta Maria, já há imóveis no Noroeste a 8,5 mil o m quad

Maria Cristina disse...

Srº ou Srª anônimo, se pretende morar no Noroeste corra e compre logo o seu apartamento com o metro² no valor de R$ 8.500,00 pois logo, logo, não conseguirá comprar um apartamento de boa qualidade com o metro² a esse preço. E só para complementar, o certo é falar que ainda há imóveis a R$ 8.500,00 0 metro² e não já há, porque valor de metro² em Brasília não abaixa só valoriza. Só lá na terra dos americanos que não sabem trabalhar com financiamentos bancários que abaixa.
Boa sorte e procure comprar um imóvel com ótima qualidade, não olhe preço de metro² e sim qualidade de vida.

Rodrigo Barreto disse...

Em qualquer área, em qualquer ramo de atuação, sempre haverá, 2 ou mais, opiniões divergentes. O importante é podermos absorver informações e trocar ideias que possam agregar maior valor para o nosso conhecimento. Desta forma, convido todos para, também, participarem do meu blog, como comentários, críticas, opiniões, dicas entre outros. Aproveito, ainda, a oportunidade gerada pelo criador deste blog, o que nos propicia mais um espaço para discussão. Agradeço, ainda, a Doutora Maria Cristina pelas considerações postadas.
Rodrigo Barreto
Administrador de Empresas atuante no mercado imobiliário pela Buriti Empreendimentos Imobiliário.
Contato: (061)8585-8777 – e-mail: rodrigobarretodf@hotmail.com
http://rodrigobarretoimoveis.blogspot.com

Marcelo disse...

Caro RODRIGO, visitei seu blog. Parabéns, bem bacana.
Se me permite uma observação Doutor é quem faz doutorado.
A Lei de 11 de agosto de 1827, responsável pela criação dos cursos jurídicos no Brasil, em seu nono artigo diz com todas as letras: "Os que frequentarem os cinco anos de qualquer dos Cursos, com aprovação, conseguirão o grau de Bachareis formados. Haverá tambem o grau de Doutor, que será conferido àqueles que se habilitarem com os requisitos que se especificarem nos Estatutos que devem formar-se, e só os que o obtiverem poderão ser escolhidos para Lentes".
www.planalto.gov.br/ccivil_03/revista/Rev_63/Lei_1827.htm

É muito comum, quando nos bancos universitários, os professores catiavrem os alunos principalmente de medicina e direito com o tratamento de doutor. É uma forma de incentivo ao cumprimento de todo o curso. Logo, não somo doutores, mas simples bacharéis.
Abraços a todos.

Rodrigo Barreto disse...

Caro Marcelo, obrigado! Seja sempre bem vindo!
Minha posição, no tratar advogado como Doutor é simplesmente um costume, forma tradicional e saudável da nossa cultura. Como relatado anteriormente: em qualquer área, em qualquer ramo de atuação, sempre haverá, 2 ou mais, opiniões divergentes. Sendo assim, mantenho minha posição sem, é claro, desmerecer seu comentário e, ainda sim, o respeito em sua colocação e julgamentos. Abraço!

Anônimo disse...

Como 2+2=4, a bolha vai estourar.
As pessoas pegam a valorização dos 3 últimos anos e usam para enganar os compradores. Esquecem de analisar os últimos 20 anos.
Mas vá lá, compre seu imóvel e depois contrate algum "Doutor" para processar o "corretor" que te prometeu valorização eterna.

Rodrigo Barreto disse...

Não há necessidade de alfinetar. Não há aqui, a meu ver, uma disputa entre o sim e o não ou do certo e errado. Se existe algum corretor prometendo lucros infundados e irreais, realmente, devem-se tomar bastante cuidado e apreciar outras opiniões. Mas, o bom mesmo é ver e rever os resultados no Brasil e no mundo sobre a economia e política do nosso país. Os jornais estão repletos de informações de vários especialistas e de investidores mundiais – “A Moody’s eleva a nota do Brasil... Na prática, além de considerar a economia do país segura para investimentos, a agência de classificação sinaliza apoio às medidas tomadas pelo governo para conter o crédito e reduzir os gastos públicos”*.
Hoje já se percebe uma queda na valorização dos imóveis no DF. Queda na valorização não é desvalorização. Para se ter um estouro na tal bolha especulativa deve se ter uma desvalorização altíssima nos imóveis. Ex. Comprar um apartamento de R$500 mil e descobrir que, na verdade, ele vale R$250 mil. Acho difícil! Mas, não sou tão incisivo, conforme sua opinião na certeza do “2+2=4”, prefiro ter mais cautela e mostrar, aos meus clientes, a realidade em que se apresenta o mercado. Mostro sempre os prós e contras.
Outro ponto de vista são os eventos que o Brasil irá sediar (Copa do Mundo e Olimpiadas). Os investidores estrangeiros estão de olho. Acho melhor esperar os resultados e ir avaliando a situação com muito cuidado.

*Caderno Economia – Conjuntura página 14, Correio Braziliense, 20 de junho de 2011.

Aproveite e, se puder, leia o jorna do último domingo que fala do aumento de renda e de classe social dos brasileiros.

Abraço e sucesso!

Jamile disse...

Gente, francamente o mercado imobiliário não está mais tão aquecido... conheço um engenheiro civil que disse que as construtoras não estão mais investindo nesses profissionais, por conta da queda na venda de imóveis novos... falo da Bahia, mas acredito que essa já é uma realidade nacional. Gostaria muito de comprar meu apartamento por agora, mas vou segurar um pouco mais pra ver no que vai dar...

Anônimo disse...

Engraçado, que aqui no DF as entrevistas e perguntas sobre o setor imobiliário se faz ao senhor presidente do creci e cofeci, pq se perguntassem realmente a quem entende do assunto, um economista ou administrador sérios, o apo seria outro e nisso arrastam muita gente. É lógico que não vão dar tiro no pé. Afina, é o negócio deles!!

Anônimo disse...

"Nunca pergunte a um barbeiro se você precisa de um corte de cabelo" - Warren Buffet

Antonio Costa (Corretor) disse...

"Não espere para comprar imóveis. Compre imóveis e espere"
(T.Harv Eker - Os segrêdos da mente milionária)

SIM, EU INVISTO EM IMÓVEIS NO DF.

Rodrigo Barreto disse...

Gustavo Cerbasi é Mestre em Administração/ Finanças pela FEA/ USP, formado em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), com especialização em Finanças pela Stern School of Business - New York University e pela Fundação Instituto de Administração (FIA), além, é claro, de ser autor de alguns livros.
Em uma palestra ministrada por ele, em Brasília, - Expo Money - Informou que, dentre várias formas de investimento, uma delas é investir em imóveis. Poderia citar vários outros. O que gostaria de mostrar aqui, não é o ponto de vista de cada um, o meu ou o seu. Agora seria bom conhecer algum economista, administrador, "sério", de renome, que não possua imóveis ou, quem sabe, não invista alguma coisa em imóveis. Ou será você (anônimo) a pessoa séria!?
Sei que existem alguns administradores, economistas, sérios, que não possuem imóveis, mas, na sua maioria, é em função de serem jovens, não possuírem uma renda favorável ou algo similar.
O tocante, nisso tudo, é o fato de os presidentes dos conselhos citados em seu comentário, serem pessoas altamente conhecidas no mercado de Brasília, honestíssimas, seríssimas em seus negócios e, quem os conhece, sabem que não se deixam levar por palavras soltas, apenas para influenciar pessoas a comprar imóveis. Acredito que você não os conheça, mas adianto, estão no mercado imobiliário entorno de 30 anos ou mais. Como relatado anteriormente, apenas apresentamos os dados informativos advindos de especialistas, baseados em fatos.
Existem pessoas sérias em qualquer ramo, o inverso também é proporcional. Mas, mesmo as pessoas sérias podem ter opiniões divergentes sem serem deselegantes.

Jamile disse...

Me desculpe a sinceridade Antônio, mas é claro que vc, como corretor, vai dizer que o melhor é comprar imóvel...

Antonio disse...

Obrigada pela sua sinceridade Jamile, e seguindo esse raciocinio de sinceridade: sim, comprar imóveis em Brasília, principalmente se for para morar, sempre foi, continua sendo e continuará sendo o melhor negócio, seja aqui ou em qualquer lugar do Brasil.
Boa sorte!
Rodrigo, parabéns pelas considerações. Tenho aprendido muito com você.
Grato,
Antonio

Rodrigo Barreto disse...

Caro Antonio, obrigado! Boa sorte pra você também!
Siga-me no facebook, blog e outros. Podemos trocar informações, opiniões e aprendermos mutuamente.
Abraço!

ocolega disse...

estava precisando de um blog assim!
minha paciencia está bem esgotada, pois converso
sobre este assunto constantemente com meus colegas. todos bem formados e estudados...
na minha visão fica a crueldade que está sendo
praticada por aqueles que há mais de 100 anos lidam com compra de imoveis...
especulação imobiliaria parece ser uma das formas mais rapidas de enriquecer...
Minha cidade natal é em minas gerais e comporta muitas faculdades.
A cidade atrai muitos estudantes. aqui um construtor guloso está ganhando por baixo mais de 500 mil reais fazendo predinhos de 3 andares que mais parecem feitos de LEGO!!!!
ISTO É UMA SACANAGEM SEM CONTROLE...
ninguem tá fazendo nada pra controlar
esta festa maldita!!!!!
sem falar nos bancos!!!!
o valor do metro quadrado de construção está disponivel para qualquer um ver...
está certo deixar que uma construtora lucre
isto tudo???????????????
quando um banco me liga pra oferecer
capitalização tenho vontade de vomitar!!!
NÓS TEMOS AQUI SÓ "APERTAMENTOS"...
não sei se existe uma bolha.
ai vem o bla bla de quem assume risco..
fala sério!!!
gostaria de escrever muito para desabafar o desamparo!!!
trabalho em uma empresa gigante e estou achando
que estão brincando com a minha cara!!!
trabalho no rio durante a semana!!!
não preciso falar muito...
para quem não está acostumado,
isto aqui é uma selva mesmo.
vc é assediado constantemente com a simples
percepção do assalto que é submetido
tanto comprando ou alugando uma
DROGA DE PILHA DE TIJOLOS DE 60 METROS
QUADRADOS... 6 passos por 10 passos!!
ridiculo!!!!
pois na minha cidade morava em uma casa
em terrenos de 500 metros quadrados!!!!
dá até pra contar quantos tijolos tem...
sem tirar o mérito do pedreiro
que coitado não pode comprar também..
sou chorão!
minha namorada fala que não entende
pq eu penso assim e fala que é medo etc...
tem colega dela que ganha 1/3 do que
ganho e tá comprando
pela mentirosa tabela SAC!!!!!!
mas basta ir no site da serasa pra saber
quanta gente tá endividada com cartão de credito..
tem gente que tem estomago de aço.
QUE DEUS NOS AJUDE!!! SÓ ELE MESMO
PQ A CRUELDADE É QUE VAI ESTOURAR
QUALQUER HORA...
ME LEMBREI DO FILME "RAPA NUI" AGORA!

Pedro Júnior disse...

Você está certo em não comprar agora. Espere e a paciência será recompensada. O estouro da bolha imobiliária está próximo. Os especuladores contam com estes fatores para tentar enganar as pessoas. Um conselho, evite falar de bolha imobiliária com conhecidos e colegas de trabalho, até com parentes. As pessoas estão submetidas a uma lavagem cerebral da mídia e nos taxam de loucos quando falamos os nossos argumentos.
Boa sorte e sucesso

Anônimo disse...

Mas essa bolha tá pra estourar há 02 anos e até agora nada... enquanto isso, os imóveis continuam sendo valorizados... e aí?

Pedro Júnior disse...

Prezado anonimo. A bolha vai estourar. Ela está inflando há uns 4 anos aqui em Brasília. Mas se você acha que não há bolha ou não pode esperar vá em frente. Compre uns ágios (inclusive pegue empréstimo para comprar a maior quantidade que puder) e daqui a 1 ano revenda os mesmos com valorização de 30 a 100%. Com o dinheiro compre mais alguns ágios e faça o mesmo. Faça isso até ficar cansado de ser milionário (não se esqueça de passar o segredo do sucesso sem esforço aos seus filhos). Ah. Também não perca tempo pesquisando blogs sobre bolha imobiliária, pois afinal ela não existe mesmo e é apenas coisa de lunáticos e invejosos.Prezado anonimo. A bolha vai estourar. Ela está inflando há uns 4 anos aqui em Brasília. Mas se você acha que não há bolha ou não pode esperar vá em frente. Compre uns ágios (inclusive pegue empréstimo para comprar a maior quantidade que puder) e daqui a 1 ano revenda os mesmos com valorização de 30 a 100%. Com o dinheiro compre mais alguns ágios e faça o mesmo. Faça isso até ficar cansado de ser milionário (não se esqueça de passar o segredo do sucesso sem esforço aos seus filhos). Ah. Também não perca tempo pesquisando blogs sobre bolha imobiliária, pois afinal ela não existe mesmo e é apenas coisa de lunáticos e invejosos.

Jamile disse...

Tenho uma dúvida... quando se fala que a bolha vai estourar significa que os preços irão despencar ou que a valorização não será tão considerável assim? Tipo, os preços vão permanecer estacionados ou os imóveis serão desvalorizados mesmo?

Rodrigo Barreto disse...

Oi Jamile, bom dia! Tudo bem?
Quando se fala em bolha imobiliária, quer dizer um inchaço nos preços dos imóveis. O estouro da referida bolha, se dá quando esses valores estão muito altos e, de repente, os preços despencam consideravelmente, na base de 40, 50% ou mais. O comprador adquiri um bem imóvel por um valor X e descobre que, na realidade, seu patrimônio custa menos da metade do valor que foi pago. Isto é o estouro na bolha imobiliária.
Em Brasília os valores dos imóveis estão muito altos, mas acredito que a tendência é a desaceleração na valorização, até o ponto de estabilizar os preços e perceber um crescimento anual mais enxuto.

Jamile disse...

Obrigada, Rodrigo...
Acho que essa desaceleração já está ocorrendo. Sou da Bahia e aqui os preços não estão tão exorbitantes quanto em Brasília, mas já se fala em queda no ritmo de vendas. Por isso que ainda tenho dúvidas se estou num bom momento para comprar. Até o final do ano serão entregues muitos empreendimentos e acredito que a partir do ano que vem a situação muda um pouco. Vou esperar até lá...

Pedro Júnior disse...

Jamile,
Obrigado por acessar o blog. Na minha opinião a bolha irá estourar e haverá uma desvalorização dos imóveis os quais irão voltar ao seu preço histórico real, refletindo as condições de mercado naturais (ou seja, sem direcionamento de crédito excessivo ao mercado, como deveria ser).
Ou seja, quando os recursos subsidiados da poupança e do FGTS para o crédito habitacional acabarem (e se o governo não inventar outra fonte subsidiada de recursos para crédito imobiliário) não haverá crédito atrativo para todos pagarem as chaves dos apartamentos que estarão sendo entregues e nem atrativo para comprar ágio, tendo em vista o medo de não conseguir aprovação de financiamento com juros acessíveis no futuro. Neste momento a base de compradores irá despencar e o número de imóveis à venda irá aumentar o que irá gerar a explosão da bolha imobiliária. Este será o fator principal de explosão da bolha, o fim do combustível da mesma (crédito excessivo). Aliado a este fator provavelmente uma ou mais grandes construtoras irão quebrar o que retirará outro importante fator gerador e sustentador da bolha (euforia dos compradores e confiança inabalável no mercado). Não se esqueça, ao comprar um imóvel na planta você está adquirindo apenas um pedaço de papel em que deposita toda a sua confiança na construtora.
Bem, esta é a minha opinião. Lembre-se de que não sou imparcial, eu torço para que a bolha estoure para que eu possa comprar um imóvel com o dinheiro que eu possuo e não me endividando para o resto da vida. Também não esqueça que os corretores que frequentam este blog também são parciais para negar a bolha(não sei o que os atrai tanto aqui, tendo em vista se tratar de assunto que deveria causar-lhes aflição e perda de sono)

Jamile disse...

Obrigada pelas informações, Pedro... ainda não comprei porque concordo que a valorização dos imóveis está um tanto exagerada. O problema é que não sabemos quando essa bolha vai estourar. Mas, na dúvida, vou esperar um pouco mais...

Rodrigo Barreto disse...

Não somente corretores, mas outros profissionais, clientes, frequentam este blog. O tema em questão é bem polêmico. Por este motivo, acredito que tantas pessoas postam mensagens com opiniões bem divergentes sobre o tema em pauta, o que vem tornar este espaço bem atrativo.
Não vejo motivo para os corretores se assustarem com o estouro da bolha, mesmo porque, nós nos beneficiaríamos por ter maior volume de venda em função dos preços baixos.
Já sobre a questão do crédito excessivo, não posso, respeitosamente, concordar com a opinião do Pedro Junior, pois trabalho diariamente com venda de imóveis e créditos imobiliários. Não é tão simples conseguir liberação de crédito. Na verdade o que não temos no Brasil, o que nos diferencia dos outros países, é crédito em excesso. As instituições bancárias têm um controle sobre os gastos e créditos utilizados pelo futuro comprador. O máximo que pode ser liberado de crédito para um consumidor é 1/3 da sua renda bruta. E, se o mesmo tiver outros financiamentos com outras instituições creditícias, diminuirá seu poder de financiamento imobiliário.
Devemos ficar atentos, pois os imóveis estão com preços bem inflados. Muitas vezes confundimos preço negocial de preço real. Uma coisa é ver valores de imóveis através de anúncios e a outra coisa é acompanhar o valor real de venda na hora de fechar um contrato de compra e venda ou transferência de escritura nos cartórios.
E, igualmente, com todo respeito, no tocante a sua posição de ser imparcial, não procede. O que torna visível é o seu grande interesse pelo estouro da bolha imobiliária para com isso poder, com o que lhe é provido, dentro de suas condições financeiras, adquirir seu bem imóvel.

Pedro Júnior disse...

Senhor Corretor,
Se você ler o meu comentário com atenção verá que eu digo claramente que não sou imparcial em relação ao assunto, tendo em vista que tenho interesse de que a bolha exploda. Da próxima vez preste mais atenção.
Duvido que você consiga captar algum cliente aqui no blog. Quem chega aqui o faz por já ter visto que o mercado está irracional.
Passar bem.

Rodrigo Barreto disse...

Prezado Pedro Júnior, bom dia!
Poderia ser mais receptivo com as pessoas que o visita. Desculpa! Realmente não és imparcial.
Entrei neste blog, pois achei o tema muito interessante para ser discutido.
Percebi que sua vontade que a bolha estoure é para satisfazer uma necessidade individual. Assim, não poderíamos pensar no coletivo. Só o Brasil passando por uma grande crise para acontecer um estouro na bolha. Com isso, muitas pessoas enfrentariam dificuldades, não só no mercado imobiliário, para satisfazer uma vontade um pouco individualista, não acha? Será que é preferível uma crise em nosso país para satisfazer uma compra de imóvel? Teríamos quantos desempregados? Será que estaria trabalhando no mesmo local, com mesmo salário, com as mesmas seguranças? O dinheiro que está aplicado, esperando “esse grande momento”, “essa grande oportunidade”, não poderá ser utilizado em outras necessidades? É de se pensar, realmente vale a pena?
Não estou colocando que irá haver ou não estouro na bolha. Minha visão é: não acredito que a bolha imobiliária vá estourar na atual realidade que se coloca o mercado. Acredito na estabilização dos preços e uma valorização mais lenta.
Grato!

marcelo disse...

Pessoas, boa tarde!
Senhor Rodrigo Barreto, continue com a opinião inicial que serás diferente dos demais.
E lembre-se que a assunção de financiamentos implica dor de cabeça por 30 anos e não há comprimido que a cure!!!

Rodrigo Barreto disse...

Caro Marcelo, boa tarde!
Hoje minha opinião em relação à bolha imobiliária é uma, amanhã pode ser outra. Tudo depende de como anda o mercado. Sendo assim, mantenho minha posição em não acreditar que vai haver uma crise no setor imobiliário.
Dor de cabeça, na minha visão, é morar e pagar aluguel por 30 anos, sem saber se o proprietário vai solicitar, repentinamente, que desocupe o imóvel. Isso me trás um pouco de insegurança.
Em décadas passadas financiávamos um imóvel e após dez anos pagando descobria-se que estávamos devendo mais do que o valor inicial e as prestações altíssimas. Hoje, mesmo não sendo a melhor opção, o financiamento lhe dá uma segurança do valor mensal a ser pago. Assim, podemos nos programar e saber todas as prestações a serem pagas, que hoje são decrescentes.
Se uma pessoa tem outra forma de investir seu capital em outros fundos mais rentáveis, que possa assim, suprir, num período menor, a necessidade de adquirir um imóvel, ótimo!
Tudo que possa ser adquirido à vista é mais vantajoso do que pagar juros com prestações, ainda mais, de longo prazo. No caso do aluguel, realmente não há remédio que cure, pois o dinheiro já está no bolso do proprietário e não retorna para nossas mãos.

Anônimo disse...

Ola Pedro , moro em Belo Horizonte e aqui esta acontecendo o mesmo tema imoveis valendo bem mais que seu real valor.Já que voce e entendido do assunto , gostaria que me exclarecesse uma duvida.A quatro anos comprei uma casa em um bairro sem nenhuma estrutura, começei pagando R$ 315,00 por mes , hoje minha prestaçao ja esta no valor de R$680,00 e ainda me faltam 32 parcelas, bem descobri que a casa foi vendida para a imobiliaria por C$ 11,000 reais e que vou acabar pagando R$44,500 reais aproximadamente, a construçao nao vale nada , nao tem planta e será condenada se for examinada por um especialista , ja que tem rachaduras por todos os lados , bem eu estou em atrazo com o pagamento , por mais de tres meses nao tenho mais nada a nao ser essa casa , sera que nao seria possivel rever este financiamento e baixar um pouco o valor a ser pago , ou posso perder minha casa , ja que foi finaciada pela propia imobiliaria , peço sua ajuda ou a alguem que queira me orientar .Um abraço

Rodrigo Barreto disse...

Conheço aí em Belo Horizonte alguns dirigentes da Rede Netimóveis. Não sei se você já ouviu falar, mas trata-se de um grupo seleto de imobiliárias.
Existem alguns clientes, aqui em Brasília, que quando não estão satisfeitos ou não concordam com a prestação que pagam pelo bem adquirido, ingressam, por meio de um advogado especialista na área, com uma ação revisional na justiça. A ação revisional é para tentar conseguir que você possa ser ressarcido de parcelas pagas com juros abusivos, anatocismo e, ainda, rever o valor justo a ser pago, caso haja esse entendimento da justiça, é claro! Não sou advogado, mas já ouvi falar, trata-se mais ou menos disso. Mas também não se têm uma garantia que a causa será favorável a você. Ainda sim, pode tentar fazer um acordo com a imobiliária que o vendeu o imóvel.
O melhor mesmo é procurar um advogado, na sua cidade, que entenda desse assunto. Porém, aconselho, já que parou de pagar as parcelas, fazer uma poupança com este valor ou valor aproximado. Caso ocorra um possível fracasso nessa sua investida, terás como assumir, com mais facilidade, o pagamento da dívida.
Boa sorte!

Ana Rita disse...

Rodrigo, Pedro e Marcelo, bom dia!
Comprei meu "apertamento" de 205m², em Águas Claras! Amplo, confortável e lindo, lindo... e mais lindo ainda porque estou pagando por 30 anos uma prestação que cabe no meu bolso e ao final de 30 anos será dos meus filhos. Aluguel para enriquecer os outros? Nunca mais...
Comprei por um preço o m² e que hoje vejo que está o triplo do que comprei, ai fico feliz e vejo que viz um ótimo, maravilhoso investimento para mim, no que será meu, só meu um diaaaaa. Graças a Deus não ouvi esses tolos e sem dinheiro acreditando em uma tal bolha imobiliária que nunca chega, e se chegar feliz dos corretores que terão muito o que vender a preços baratos ganhando na quantidade em que vão vender porque a procura será absurda por apartamentos com preços baixos, do que ganhar muito em um só apartamento. Corretores, orem, rezem peçam a Deus que essa tal bolha aconteçam, será o milagre do século para se ganhar dinheiro.
Rodrigo parabéns pelas suas colocações, quanto ao Pedro Junior, fica ai torcendo pela bolha pra poder pegar o dinheiro que está juntado para comprar seu APARTAMENTO, cada um faz o que quer com o que é seu.
Ana Rita (Funcionária Pública Federal)

Jamile disse...

Gente, com essa iminência de crise mundial, o setor imobiliário pode ser atingido?

Rodrigo Barreto disse...

Oi Jamile,
Tudo é possível. Porém, creio que hoje, o Brasil se encontra em situação econômica mais forte do que na última crise, ou seja, está mais preparado para enfrentar e superar esse colapso econômico mundial. Ainda sim, com um pensamento positivista, vejo que, em função dos futuros eventos: olimpíadas e copa do mundo, sediada no Brasil, não há motivo para acreditar que esta tensão possa nos atingir. Sei que esta crise atinge diretamente a bolsa de valores. Mas devemos ficar atentos e pesquisar bem antes de fechar qualquer negócio.
Aproveito a oportunidade para parabenizar a Ana Rita pela conquista do imóvel. O importante é se sentir bem e realizada com seus investimentos. Que Deus a proteja, boa sorte!
Lembro aos demais, futuros investidores, que antes de comprar um imóvel, seja paciente, não tenha pressa. Um imóvel vai te servir, normalmente, por um longo período. Então, pesquise muito antes de assinar qualquer contrato. Cuidado! Existem muitos imóveis superfaturados no mercado.

Anônimo disse...

E essas bolsas despencando? Vai sobrar pra o mercado imobiliário tb...

Marcelo disse...

A todos, bom dia!
Senhora Ana Rita, parabéns pela conquista e a coragem em financiar seu imóvel. Caso tivesse chegado em BSB antes, talvez o teria feito tb. O que questiono não é o preço antigo dos imóveis, mas o atual. Ao que vejo, 205 metros quadrados, vc comprou uma mansão! Rs. Você sabia que entre 50 e 58% dos lançamentos aqui no DF são vendidos a especuladores, sob a forma de “investimentos”? Ora, investimento é algo que vá gerar renda de maneira permanente aos investidores. Comprar e vender é especulação! Ademais, comprar imóvel para uso próprio é investimento a qualquer que seja o valor, e este deve ser o seu caso.
Conheço pessoas que trabalham em empresa de terceirização com salário de R$ 1.000,00 e pagam prestação de dois aptos de 2 qtos em Águas Claras, como vc e outros amigos aqui conhecem, com certeza. Já imaginou quando a construtora entregar o imóvel? E agora José? Como fazer, pois nem todos os corretores são como nosso prezado Rodrigo Barreto (aliás, parabéns senhor Rodrigo! pela clareza e transparente exposição aqui no espaço) para se livrar do pepino?
O negócio dos corretores é vender sua mecadoria – o imóvel na planta – o resto é entre financiador e financiante. Outra coisa, um apto hoje em Águas Claras, usado e, portanto, com armários etc sai muito mais em conta do que um zerado –em que o proprietário antes de entrar terá que reformá-lo, devido à péssima qualidade e aparência do material empregado (estou mentindo? Vá olhar de perto!).
Como já postei aqui, AC é um lugar bonito, mas a ganância dos empresários e construtoras o está transformando em um grande pombal. Basta verificar a quantidade de estacionamento público do bairro. Simplesmente, não há! Os carros, hoje, já ficam estacionados nas ruas e, muitas vezes, em fila dupla. Já pensou vc recebe uma visita e seus carros ficarem nas ruas e serem furtados/roubados? Certamente, ficar-se-á com cara de tacho!!!
É muito comum pessoas saírem de AC e virem morar no Plano Piloto, por causa do trânsito (vc já tentou ir para AC às 18h/19h? é dificl não é mesmo? Aliás, foi até irônico o papo com um amigo que disse q o elevador parou quatro vezes e ele n conseguiu entrar. Na 5ª vez, conseguiu. Congestionamento no elevador. Rs.
No mês de julho atingiu-se a marca de 50% de ocupação e já imaginou quando AC tiver 95 a 100%? Caos terrestre!!!!!
Mas independente do que aconteça, BOLHA OU NÃO, parabéns a todos pelo nível do blog.
Rodrigo Barreto, caso decida comprar, com certeza, vou lhe procurar. Abrç a todos.

Leandro disse...

Sugiro aos corretores aqui do blog um pouco mais de estudo sobre economia.
Visitem o ótimo site: www.mises.org.br e procurem os artigos do economista Leandro Roque.
Ainda não consigui ver alguém refutando as explicações dele sobre a bolha imobiliária brasileira.
Considero-o o melhor autor do assunto hoje!

Leandro disse...

correção: "ainda não consegui"

Ana Rita disse...

Maarcelo, Bom dia! Sim, pego um trânsito pesado indo e vindo para Águas Claras, mas até onde conheço Brasília é assim em todas as vias de entrada e saida do Plano Piloto, BSB/Sobradinho, BSB/Gama,Santa Maria,Valparaíso, BSB/Água Claras, Taguatinga, Ceilândia, BSB/Núcleo Bandeirantes e por ai vai. Não há um só caminho de entrada ou saída de BSB que não seja assim, pesado na hora de ir e vir. Quanto a estacionamento, trabalho no centro de BSB e sabe onde consigo estacionar o meu carro? Nas quadras residenciais em volta. Sabe onde estaciono meu carro nos finais de semana quando venho visitar meus pais que continuam morando no Plano Piloto? Em fila dupla, atrás do carro de algum irmão ou primo que já chegou antes e conseguiu uma vaga. Problema de estacionamento Marcelo existe em todo o Plano Piloto durante 24 horas e por 07 dias na semana.
Quanto ao acabamento do apartamento que eu comprei para morar, e não para investir, não tenho dinheiro para investir, realmente é uma mansão, mas graças a Deus recebi como estava no contrato, um ótimo acabamento, mas claro a decoração, detalhes ficaram por minha conta, e o apartamento como eu queria, e sim, para mim, meu esposo e filhos é uma mansão. Eu não vou negar que estamos MUITO FELIZES! O nascer do sol aqui é lindo!!!!!
Obrigada pela atenção,
Ana Rita

Rodrigo Barreto disse...

Bom dia!
Primeiramente agradeço ao Leandro pela dica. É sempre bom nos inteirarmos de vários assuntos, com profissionais da mesma área de atuação, com pensamentos e opiniões diferentes, para agregarmos maiores conhecimentos.
Aproveito, ainda, para lembrar que engarrafamento não acontece somente nas saídas e entradas da cidade. Em Brasília, principalmente nas “tesourinhas”, W3, no horário de pico o trânsito fica engarrafado. E no sudoeste? rs... O percurso é menor, mas nos horários do início da manhã, meio dia e as 18:00 o trânsito fica congestionado.

Anônimo disse...

P

Anônimo disse...

anonima "lulu"(servidora públ., 47),

hoje, 16/8/2011, li o blog T O D O. Comprei meu ap.(86m, 3 qtos, garagem, nascente, 6º andar: noje 800 mil...??) no sudoeste, onde resido desde q comprei,no final de 1999(por 150 mil)...e o comprei com o dinheiro "angariado" na venda de uma casa e 3 terrenos que eu havia comprado nos condomínios... e HAVIAM VALORIZADO! Comprei, em 2007, parceladamente(sem financiar em banco, quitei em 1 ano e meio) outro ap. no sudoeste (38m, 2º andar, nascente, elevadores, garagem coberta, não tem comercio embaixo) onde meu filho reside com a esposa e meu neto recém-nascido. Imóvel á a compra gratificante. Você mora, aluga, empresta para o filho...deixa para o filho...(sucessão)...é uma garantia até um problema de saúde sério que você ou algum familiar seu possa ter. Quem garante o que realmente os planos de saúde caríssimos que pagamos realmente cobrem?

Anônimo disse...

anonima "lulu"(servidora públ., 47),


Terminei de "comprar" um lançamento em águas claras. Localização excelente... no centro de tudo, perto de uma estação/ metrô, defronte a 1 supermercado, curso de inglês, academia, posto de gasolina, ao lado do parque de aguas claras.
Sao 59m, 2 vagas paralelas de garagem, área de lazer com mais de 42 itens...nascente total... em jun 2014 será a entrega, mesmo q atrase...o tempo passa tão rápido.
Só não comprei antes, fiquei um tempo sem comprar porque gastei muito com uma cirurgia de um familiar que paguei. Gastei muito com honorários advocatícios, numa causa ("NAda ORDEM IMOBILIÁRIA"). Assim que pude "retome"...
até porque a entrada é barata no lançamento.
CLARO QUE SEI QUE POR FUNCIONÁRIA PÚBLICA TENHO O CONFORTO E A SEGURANÇA DE TER O EMPREGO SEGURO. MAS NÃO SOU FUNCIONÁRIA DE ALTO ESCALÃO.
CREIO QUE HÁ QUEM SAIBA USAR O DINHEIRO MELHOR.
EESSE CRITÉRIO VARIA DE PESSOA PARA PESSOA, DE ACORDO COM OS CRITÉRIOS DE PRIORIDADE DE CADA UM...MEUS COLEGAS DETRABALHO NÃO POSSUEM IMÓVEIS EM LUGAR CARO... OU NEM POSSUEM...MAS ELES DEVEM TER O CRITÉRIO DE VIDA DELES. O IMPORTANTE É CADA UM FAZER O QUE BEM ENTENDE COM SUA VIDA E SEU DINHEIRO. EU VIAJO 3 VEZES POR ANO : 17 DIAS, 9 DIAS E 17 DIAS DE NOVO... INCLUSIVE PARA O EXTERIOR. MAS NÃO ESTOU DIZENDO QUE ISSO É A MELHOR COISA DO MUNDO...
HÁ QUEM DETESTE VIAJAR... SÓ PENSO QUE QUEM SOUBER ADMINISTRAR SEU DINHEIRO COM DISCIPLINA E DETERMINAÇÃO, REALIZARÁ SUAS PRIORIDADES,

NÃO HÁ ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA BEM SUCEDIDA ... LUCRO EXORBITANTE QUE VALHA A GRATIFICAÇÃO QUE FOI E ESTÁ SENDO ENTREGAR? EMPRESTAR O MEU AP. PARA MEU FILHO/NORA/NETO. ESPERO QUE ELE COMPRE O DELE... MAS SÃO JOVENS E COMO EM BRASÍLAI É MUITO CARO... ATÉ PARA QUEM JÁ SE ESTABILIZOU...
IMAGINE PARA ELES AOS 22/23 ANOS ESTUDANTES E TRABALHANDO. E. ORA, ELE É MEU HERDEIRO NECESSÁRIO.

PRETENDO PAGAR AS 36 PRESTAÇÕES, VOU JUNTANDO PRA O HABITE-SE...E ANTES DAS CHAVES PAGAR O MÁXIMO QUE EU TIVER JUNTADO, DE VEZ, PARA A CONTRUTORA.. PRA FINANCIAR O MÍNIMO POSSÍVEL OU NADA NO BANCO.

JÁ VIAJEI 2 VEZES ESSE ANO: 7 DIAS DE NAVIO E 17 DIAS NOS EUA(SÓ IPAD, COMPREI DOIS) E EM OUTUBRO VIAJAREI MAIS 17 DIS.. ESTOU ESCOLHENDO O DESTINO.. PERU? CARIBE? FORTALEZA DE NOVO?...

ESTOU INVESTINDO MEU TEMPO AQUI... CRENDO QUE POSSO COM MEU DEPOIMENTO PASSAR OTIMISMO PARA AS PESSOAS. É PRECISO ORGANIZAR A GRANA E TER FOCO NAS METAS. NEM QUE SEU OBJETIVO SEJA SER UM PERDULÁRIO... SE ISSO TE FAZ FELIZ.NÃO ESCREVO COM IRONIA. O IMPORTANTE É SER FELIZ.
SEGURANÇA NÃO É IMPORTANTE PARA MUITA GENTE, E O CONCEITO DE SEGURANÇA É RELATIVO E PESSOAL.

NÃO SE PODE É "COMEÇAR POR CIMA"... COMPREI 4 LINHAS TELEFONICAS (NO "TEMPO QUE PODIA"... E FOI COM A VENDA DE TRES DESSAS LINHAS QUE COMECEI A POUPANÇA COM A AQUAL COMPREI O PRIMEIRO DOS 3 TERRENOS... E CASA QUE COMPREI NOS CONDIMINIOS NÃO TINHA NEM LAGE (TINHA FORRO PAULISTA)...NEM MURO... MOREI NELA UNS 5 ANOS...
NÃO ME SACRIFICO EM NADA...DINHEIRO É SABER USAR....GANHO NM,ENOS QUE VOCE E FAÇO MAIS QUE VOCE"... NÃO É IMPORTANTE QUANTO VOCE GANHA E SIM QUANTO VOCE FAZ SOBRAR

ESPERO TER INCENTIVADO ALGUEM A BUSCAR COM MAIS AFINCO SEUS ESCOPOS

Anônimo disse...

LULU

LAJE

Elaine disse...

Mas e então, vejo vários posts relatando compras bem sucedidas, estão no início, mas e depois da entrega, quando o financiamento ocorrer de fato, no começo a empolgação nos ceg, isso é fato, mas e quando o calor da compra baixar? Será que todos esses apts vendidos serão pagos de fato. "Acho" que não. E não por falta de grana, é por falta de coragem mesmo.

Vou guardar grana por mais 2 anos anos e comprar meu àvista, assim poderei negociar com uma margem de tranquilidade.

Anônimo disse...

lulu
o metro quadrado vai estar bem mais caro!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Marcelo disse...

Elaine, vc tem toda razão.
É muito comum vermos em Aguas Claras, Aptos com pretensões de serem vendidos já com lucro mínimo e olha que ainda há previsão de projeção de mais construções.
Ao que tudo indica e olhando a quantidade de ofertas, segundo a lei de oferta e procura, os preços tendem a baixar.
Ademais, os balanços trimestrais das construtoras apresentaram crescimento bem abiaxo das expectativas. Assim, para aumentar as vendas e saudar compromissos, a tendência é o decréscimo dos preços.
Abraços.

Anderson disse...

Boa tarde! Primeiramente, sou de São Paulo, então não conheço a realidade de Brasília. Mas, por curiosidade, entrei em um site de compra/venda de imóveis em Brasília citado aqui no blog: apartamento de 37 m² por R$ 350 mil! Por essa metragem eu não pagaria nem os 50 mil...
Aqui em São Paulo os preços também estão totalmente fora da realidade. Qualquer apartamento com seus míseros 100 m² batem fácil a casa de 1 milhão. O pior que está ocorrendo é que quase não há diferença de preços em razão da localização. Ou seja, qualquer apartamento com seus 50-60 metros custa acima de 400-500 mil em qualquer região da cidade de São Paulo. Claro que há exceções, como na Vila Olímpia (bairro da zona oeste) em que há empreendimentos com metro quadrado de até 18 mil.
Uma coisa que me incomoda aqui no blog são as pessoas que criticam quem reclama dos preços dos imóveis, dizendo que é inveja ou falta de dinheiro. Ora, se um apartamento de 60 metros custa 600 mil e eu tenho esses 600 mil no bolso, eu não pago! Simplesmente por que acho um desaforo pagar essa quantia por uma porcaria de imóvel com essa metragem. Não há justificativa para um preço desse.
Levando-se em consideração a realidade miserável do nosso país e a pobreza de nossa população, 100 mil já está muito bom para um ap. de 60 mts. (na verdade ainda está muito caro - para a realidade do país).
Outra coisa que percebi sobre esses que alegam não ter se arrependido de ter "comprado" o imóvel dos sonhos, é que, na verdade, nenhum comprou nada. Todos entraram em financiamento. O banco aprova o financiamento em 30 anos (ou sequer entraram na fase do financiamento, pois ainda estão pagando somente as parcelas iniciais à construtora) e já dizem que compraram a casa própria. Pura bobagem. Se essas pessoas pagarem 29 anos e 11 meses, mas não pagarem a última, o banco vem atrás. Então, até ser paga a última prestação, vocês não compraram nada!
Outra coisa que não suporto ouvir é a tão propagada santíssima trindade brasileira: economia forte, crédito fácil e salários em crescimento. Não sei o que aconteceu com o povo brasileiro que acreditou tanto no que foi dito, principalmente, pelo último governo (prometo que não discutirei sobre o governo).
Incutiram na cabeça das pessoas que o país está ótimo, que as pessoas estão ganhando bem, que há crédito farto. Gente, isso não existe. Como escreveram acima, me digam onde existe esse crédito, que eu ainda não vi. E aqueles que conseguem, pagam sob quais condições? Juros usuráveis. A economia está em frangalhos, a dívida pública só faz crescer, inflação desenfreada e as pessoas continuam ganhando uma miséria. Salário mínimo de R$545. Quem sobrevive com isso? Quem consegue financiar alguma coisa com isso. Mesmo que o salário mínimo fosse de 3 mil reais, a pessoa ainda seria pobre e não conseguiria financiar nada. Se formos considerar toda a população brasileira, qual o percentual de pessoas que ganham mais de 3 mil reais/mês?
Por isso digo que os preços das coisas estão em total desarmonia com a realidade do país.
Os preços no Brasil são fixados na base do "se colar, colou". Da mesma forma que fazem com automóveis. Qualquer carrinho melhorzinho já justifica um preço de 100 mil. E o pior é que as pessoas fazem fila para comprar essa "barganha".
Assim, chego à conclusão que a culpa pelos preços cobrados no Brasil é única e exclusiva dos próprios consumidores. Claro que do outro lado está a usura e ganância de quem vende, mas esta para por ai. O vendedor tem o direito de cobrar o que quiser, mas não a capacidade de exigir a compra. Ao consumidor, basta não comprar.
Antes que me chamem de invejoso ou de pobre (rsrs), já aviso que não possuo imóvel, moro com meus pais, tenho vontade de comprar uma casa, mas ainda não possuo condições financeiras. Tenho uma poupança que me permite dar uma boa entrada, mas não quero me "associar" pelo resto da vida com um banco para financiar o restante. Soiu funcionário público. Abraço a todos. Parabéns pelo blog.

Marcelo disse...

Anderson, parabéns pelo post.
Completo o post com a afirmativa de que em 30 anos, que é o prazo para pgto, com certeza a divida publica vai estourar.
As pessoas estão falando q o governo está incentivando o crédito. Sim o crédito para o programa MInha Casa Minha Vida. Foi o q disse aí em cima: o problema é a especulação cujo as pessoas má intencionadas tentam ludibriar coom a palavra investimento. punto e basta.

Anônimo disse...

Tomei conhecimento deste blog agora, então lendo alguns comentários, não deixei de dar uma boa risada, pois realmente as pessoas estão cegas. Possuo um imóvel em Brasilia, Asa Norte, já faz um bom tempo que tento vende-ló, mas só compra que tem o dinheiro na mão, ou seja, é o comprador que está ditando o preço do negócio, antes era o vendedor que dizia o preço e ainda tinha um monte de gente querendo comprar, não existe mais o crédito fácil. Isto se evidenciará mais adiante. Já podemos ver que os estoques dos alimentos no País estão baixos, os preços destes já estão altos, primeiro cortaremos os alimentos supérfluos, depois as carnes vermelhas, verifique o preço da arroba, nessa brincadeira a prestação do seu imóvel já ficou pra trás. Observe: a maioria das pessoas (a massa) entram na onda quando já está quebrando. Exemplo clássico: A bolsa de valores vem caindo nos últimos dias, todo mundo vendendo, ações de empresas, como Petrobras e Vale, quarta e quinta nesta ordem, que mais lucraram no mundo (ultimo semestre), estão com os preços muito aquém do que realmente vale. Se você vender, obteve prejuízo, mas se você esperar e ainda puder comprar mais, o retorno a longo prazo será mais que satisfatório. Em relação a renda fixa, vemos que a rentabilidade deste tipo de aplicação está melhor, serve de um bom investimento pra quem precisa do dinheiro a curto prazo. Os imóveis tendem fortemente a ter uma queda nos seus preços, sendo que a sua recuperação será longa e dolorosa. O mercado imobiliário não é igual ao mercado de capitais, onde também existem as suas especulações, a grande diferença é que no mercado de capitais os seus preços são muito mais flexíveis e ágeis em reajustá-lo de acordo com o seu valor real. Gustavo

Susanna Jones disse...

Posso assinar embaixo desse post. Estou em Sao Paulo e o cenário está igualzinho. Lançamentos vendidos em dois a três dias por valores absurdos. Outro dia vi um anúncio um "apartamento" de 35m2, 1 dormitório no centro da cidade por 250mil. Uma cela de prisão. Até o cingapura tem mais espaço que isso gente. O lançamento, apesar disso, vende o predio inteiro em dois dias. Só especulador comprando. Depois, colocam para vender e fica lá... anos parado. No meu bairro, um dos mais cobiçados, tem muitos imóveis fechados sem alugar ou vender. Parados. Os proprietários estão esperando "subir mais"... e não querem alugar para que o inquilino não "estrague o imóvel". Enquanto isso vão pagando o condomínio. Pior ainda é quando um imóvel está anunciado como "reformado". Alguns especuladores compram imóveis antigos lindos, com taco em peroba rosa, azulejos antigos... daí arrancam tudo e colocam piso frio e azulejos "modernos", dão uma pintadinha e colocam o valor da reforma no preço do imóvel na hora da venda. Ninguém quer pagar por uma reforma no gosto do outro. Quando eu procuro um imóvel mesmo que seja de aluguel, já aviso os corretores que se o imóvel foi reformado eu não quero nem ver. Mas alguém inventou que dá pra fazer dinheiro dessa forma e tem gente se endividando para tentar enriquecer nas costas de algum trouxa que pague pelo erro que o aspirante a investidor fez.
Não vejo a hora dessab olha estourar e pelo menos meu bairro voltar a estar habitado normalmente. Cansei de ver tanto imovel fechado com placa de vende e aluga.

Ana Paula disse...

Moro em Brasília. Os preços estão altos em determindos bairros, os melhores, Asa Norte, Asa Sul, Sudoeste, Guará. Mas são bairros excelentes para morar.
Sou corretora e mais do que ninguém quero essa bolha estourando o mais rápido possível para fazer fila em meu escritório de cliente querendo comprar. Agora, se com esse estouro em todos os setores ocorrer desemprego infelizmente só temos a lamentar, todos perdem, ficamos a mercê de mais violência com o desemprego em massa. Porque com todo o quadro de "recessão que existe", segundo o Srº Anderson o desemprego ainda não está sendo notado, pelo menos a mídia ainda não está anunciando, deve ser algum acordo com o governo não é mesmo? Ana Paula (corretora de imóveis em Brasília)

Anderson disse...

Prezada Ana Paula corretora de imóveis em Brasília, por que a sra. utilizou a expressão - recessão que existe - entre aspas, como se fosse minha citação? Não utilizei em nenhum momento essa expressão. Também não desejo desemprego em massa. Desejo, apenas, o fim da vergonha que são os preços de imóveis no Brasil.

Jamile disse...

Pessoal, aqui na Bahia os preços não são tão absurdos quanto no resto do país... por exemplo, um apartamento de 96 m2 num bairro de classe média custa em torno de R$ 400.000,00... mas ainda assim há quem diga que os preços dos imóveis tb cairão por aqui... o que acham? Parece que a bolha em Brasília tá chegando...

Anônimo disse...

400 mil por uma caixa de fósforos na Bahia não está caro? Com todo respeito ao estado, mas 150 mil estaria muito bem pago.

Jamile disse...

Bom, comparando aos preços de outros estados não está tão absurdo, mas é claro que considero o preço abusivo... acredito que se houver uma bolha, a Bahia não sofre tanto quanto Brasília e cia limitada...

Anônimo disse...

As vendas já estão paradas.
Prova disso é a quantidade de corretores no site discutindo o assunto. Se não estivessem paradas, estariam ocupados vendendo seus vários apartamentos.
Conheço corretores que estão há seis meses na profissão e ainda não venderam sequer um imóvel (digo, ágio de imóvel).
Tenho colega de trabalho que comprou dois apartamentos para revender (Aguas Claras e Samambaia). Está tentando há mais de seis meses e ainda não conseguiu. Resultado: já colocou o carro a venda pra conseguir pagar as prestações.
Mas creio que ainda demora pelo menos um ano pra Bolha estourar e as pessoas que ficam "arrotando" que possuem apartamento que valem "milhões" começarem a chorar e arrumarem um culpado pro que aconteceu.

Marcelo disse...

Senhores, andei conversando e estudando a respeito desse assunto, a coisa é bem pior do que imaginamos. Tem gente que vai pagar a conta de corretoras inescrupulosas. Lamentável...

Marcelo disse...

Se possível, indiquem este espaço para outras pessoas, principalmente as amigas. Vamos evitar um mal maior. Façamos aos outros o q gostaríamos q se fizessem conosco????

Anônimo disse...

Pelo que a Srª Jamile escreveu vejo que os preços estão realmente equiparados em todos o país, dependendo da região: R$ 400.000,00 / 96m² = R$ 4.166,00. Preço praticado em Águas Claras para imóveis prontos. Os lançamentos estão em torno de R$ 6.000,00 o m². Não estou vendo tanta diferença assim de região para região. Morei em Salvador por 20 anos e acho que esse apartamento deve ficar em um bairro tipo Pituba, Ímbui, Barra, etc, bairros de classe média alta. Tá na média. Conforto, espaço, segurança, lazer, localização, custam caro seja no DF, Acre, Roraima, Manaus...
Bom, gostaria de saber, porque aqui não li ainda, quais as consequências dessa bolha na prática além da queda dos preços, construtoras demitindo em massa, fábricas de materiais de construção fechando, demissão em massa, lojas de materiais de construção fechando, demissão em massa, aumento da miséria, aumento da violência porque a fome cria desespero e mata mesmo.
Sei que vai ter muita gente se beneficiando dessa bolha, principalmente funcionário público, (eu já tenho o meu apartamento, caro ou barato, já comprei e não alimento essa industria de alugueis) como eu que tenho meu salário garantido com crise ou sem crise, mas sinto mesmo pelos trabalhadores desse setor. Minha diarista tem o marido e dois filhos empregados na contrução civil (são nascido aqui no DF), trabalham em obras no Noroeste. Eles não tem idéia dessa bolha que vai estourar, eles estão melhorado o "barraco" onde moraram com o salário do suor deles, estão felizes, trabalho honesto, trabalho pesado, bem diferente do meu, ar condicionado, bom restaurate pago com meu vale-refeição. Enfim, mais se tem a perder do que ganhar com o estouro dessa bolha.
Quando forem comprar seus apartamentos olhem se o prédio tem câmara de segurança, grades em volta do edifício, nas janelas, se a guarita do porteiro é blindada, se o portão da garagem abre e fecha rápido no caso de um assalto na porta do edifício.
Digo isso porque com o estouro inevitável dessa bolha, causando desemprego de pessoas com o nível de educação bem baixo e com bastante filhos necessitando se alimentar como qualquer filho de papai rico ou classe média baixa/alta, a fome os fará ir para as ruas, os transformarão em pedintes, menores infratores, assaltando, matando, e queira Deus nossos filhos não sejam vítimas de um menino ou menina da mesma idade deles, que para esquecer a fome e a miséria onde estão inseridos consemem mais e mais drogas e assaltam, roubam e matam. DEUS SALVE A AMÉRICA DO SUL. E o resultado do estouro dessa bolha é com efeito dominó: comércio, serviços e por ai vai. Quanto aos donos das construtoras, podem ter certeza, com os milhões que estão ganhando o futuro deles não será abalado, estão com suas poupanças nos paraísos fiscais, e decretando falência não pagaram os direitos trabalhistas da classe operária. QUE DEUS SALVE O POVO BRASILEIRO.

Jamile disse...

O apartamento fica no Costa Azul e será entregue final desse ano. Desisti de comprá-lo pq acredito que os preços não se sustentarão por muito tempo... mas espero que os resultados dessa iminente bolha não tenham repercussões tão desastrosas assim...

Victor disse...

Sou de Salvador, comprei um apartamento no empreendimento do qual a Jamile fala. Achei até caro mesmo, mas como gostei muito do empreendimento em si e da localização, Costa Azul, perto da Pituba, do Jardim de Alá, Amaralina, acho que valeu a pena e que será mais ainda valorizado quando eu o receber, mas como comprei para morar não estou muito preocupado com isso. Quanto a bolha nem sei o que falar, só tenho ouvido essa história desde 2008 e não abaixou valor de metro² nenhum, pelo menos em Salvador. Quanto as consequências diretas dessa bolha estourar, sim concordo com o anônimo com relação aos resultados desse estouro. Está me parecedo ao estouro da bomba âtômica com toda as consequências nefastas que se arrastam até hoje. Victor (Administrador de empresas.
Obs.: É impressão minha ou o pessoal que tem certeza do estouro da bomba imobiliária tem raiva e mágoa do pessoal que já comprou sua casa(apartamento) próprio caro ou barato e consequentemente tem fomentado essa alta no valor do metro²????

Anônimo disse...

Não é raiva, mas pena!!!!!!!!! e admiração pela coragem!!!

Bruno Caetano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lilian disse...

Sinceramente, a pessoa preferi passar a vida toda morando de aluguel é foda!!!! Vamos supor que a tão temida bolha não estoure nos próximos 30 anos.... O dono do blog deve ter uns 30 anos, assim espero.... Vc vai chegar aos 60 sem ter onde cair morto??? Vai ficar a mercê do dono do imóvel te pedir a qualquer momento??? Sei q certamente apagará o post, nem me importo.... Mas achei seu blog uma baboseira.... Um monte de f.... Q não tem a grana de entrada do apto. Por favor, só me digam uma coisa: qual de vcs, que são contra a compra p morar, têm a grana de entrada do apto? Aposto q nenhum!!! Por isso tamanho pavor...

Marcio disse...

Bom dia Lilian. por partes:
A bolha vai estourar pq muita gente está comprando por impulso para especular e sem ter condições de arcar com fiannciamento;
A maioria das pessoas q tem apto alugado não pensa em pedir ao apto, principalmente se tem um bom locatário;
Ter a grana e condições, muitos temos mas a hora não é de compra, basta se informar sobre o mercado;
Independente do preço, se vc comprar para morar, seja 5, 10, 15, 500 ,1.000... n importa, vlerá a pena! O problema é q, no DF - por exemplo- a maioria é para especular. Basta olhar Aguas Claras. Muita gente até tentou morar lá mas preferiu alugar mais barato lá e alugar no Plano. E olha que apenas 50% estão morando lá!!!
Se a pessoa tem 600 mil e aplica no Tes Dir., terá um rendimento que, em 8/10 anos dobrará o montante inicial (a depender do plano optado, se vencer com prazo maior - melhor será) poderá comprar o mesmo e sem dever a ninguém (ao invés de 30 anos). Assim, qual o problema de pagar aluguel?
Abrç

Anônimo disse...

Lilian,
Qual a vantagem de cair morto na própria casa?
Deixar um imóvel velho, de no mínimo 30 anos, de herança pros filhos?
Tenho certeza que seus filhos prefeririam que você deixasse o dinheiro de uns 3 imóveis de herança.
Warren Buffet, um dos homens mais ricos do mundo, só tem um imóvel (e esse imóvel tem cerca de 50 anos).
E esse negócio de ficar falando que só quem não tem dinheiro é que reclama é simplesmente PAVOR de ver o preço de sua casinha desabar.

Jamile disse...

Victor, desculpa a indiscrição, mas por quanto vc comprou e quando? Ainda penso em comprar um por lá...

Márccio disse...

Marcadores: bolha imobili�ria bras�lia brasil especula�o cr�dito economia
02/08/2011H� Moradia para Todos em Salvador - Bahia Not�cias


Coment�rio do blog: cad� o d�ficit habitacional?


http://www.bahianoticias.com.br/noticias/noticia/2011/08/02/98903,ha-moradia-para-todos-em-salvador.html#


H� MORADIA PARA TODOS EM SALVADOR

--------------------------------------------------------------------------------
07:12:27
Apesar de 52.270 fam�lias em Salvador n�o terem resid�ncia pr�pria, a quantidade de im�veis vagos daria conta para sanar este d�ficit. Conforme mat�ria do jornal A Tarde, a prefeitura pode conseguir atrav�s de uma canetada oito mil unidades, caso aplique o Artigo 1.276 do C�digo Civil no Centro Antigo da cidade. Na regi�o, h� 16 mil propriedades, das quais 1,1 mil (7%) est�o abandonadas e teriam potencial para absorver oito mil novas moradias. De acordo com o �ltimo censo do IBGE, do ano passado, em Salvador h� 101,2 mil domic�lios n�o ocupados � 23,3 mil de uso ocasional, como casas de veraneio �, e 77,9 mil vazios. Os �ltimos extrapolam em 25,4 mil unidades as 52,5 mil moradias necess�rias para sanar o d�ficit habitacional. Para a diretora-presidente da Sociedade Brasileira de Urbanismo (SBU), Gl�ria Figueiredo, isso revela �uma forte reten�o especulativa de im�veis na cidade�.
Postado por Pedro J�nior �s 09:06 0 coment�rios Enviar por e-mail

Anderson disse...

Esse final de semana saiu um anúncio no jornal O Estado de S. Paulo: Apartamento no Bairro da Aclimação (região central da cidade de S. Paulo) com 95 mts² - R$ 728 mil - isso no andar mais barato! Faz-me rir.

Anônimo disse...

Os que compram precisam fazê-l e o fazem para alugar para os que não compram

Anônimo disse...

Quem paga a prestação êh o inquilino! ...e iptu... O condomínio... E algumas tax as extras

Márccio disse...

Bolha Imobiliária: O tiro saiu pela culatra


Uma parte dos imóveis novos que começam a ser entregues agora estão nas mãos de investidores que compraram na planta há dois, três anos, e que agora querem realizar suas vendas.


Embora as entidades e construtoras evitem falar sobre esses compradores, sabe-se, nos bastidores do mercado, que há uma preocupação com aqueles investidores pouco capitalizados, que não têm dinheiro para quitar a dívida ou crédito para honrar o financiamento na entrega das chaves. São investidores que se empolgaram com a possibilidade de ganhos com o boom do setor, mas que não tinham capital e nem experiência de aplicação em imóveis, que são conhecidos pela pouca liquidez na hora da venda. Sem dinheiro, eles vão precisar vender rapidamente os imóveis e, em um cenário de grande oferta, vão depreciar os preços.

É possível observar em Curitiba alguns empreendimentos em fase final de acabamento já com cinco, seis unidades com placas de venda. “Aquele que compra e não tem como honrar o financiamento não é investidor, é especulador. E isso não é saudável para o mercado. Conheço casos de construtoras que tiveram que retomar o imóvel de pessoas que não conseguiram pagar na entrega.

http://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=1160589&tit=Indicadores-mostram-que-euforia-esta-no-fim

Rodrigo Barreto disse...

Oi Marcio, boa tarde! Muito boa sua colocação. Realmente existem, no mercado, esses falsos investidores (especuladores). Esses são os maiores prejudicados. As construtoras, claro, não querem perder esses clientes, pois são os que se arriscam em um investimento inicial de dois ou mais imóveis na planta, o que faz girar o capital e consequente andamento da obra. Esse é um risco muito alto para quem não entende do assunto. No futuro a decepção pode ser muito desastrosa.
O mercado de lançamento é bem divergente do de imóveis usados. Existe risco em qualquer investimento, mas é preciso ter um conhecimento profundo no que irá investir para minimizar o risco. Uma dica boa é: procure opiniões de diversos profissionais de uma área específica, faça leitura constante sobre o assunto e comece com cautela, não vá com muita sede ao pote. E, se vale de conselho, não invista todo seu capital em apenas um local, seja imóvel, bolsa, ouro...
Abraço!

Anônimo disse...

É só abrir o jornal de domingo que podemos ver três páginas de venda de apartamento, só em Águas Claras. Isso sem contar com as inúmeras faixas de vende-se espalhadas pela cidade.

Ora, se está tão fácil vender porque esse desespero de espalhar faixas na cidade.

Tenho um amigo que está tentando vender um apartamenti em AC faz um ano e pouquisimas pessoas foram olhar o imóvel.

A quatro meses visitei um stande de vendas. Gostaria de adquirir uma kit na asa norte. O valor? R$ 375.000,00. O corretor disse que eu venderia por mais que R$ 500.000,00 fácil. hehehehe. Hj passei pelo stande de vendas e pasmem, ainda tem kit pra vender. Ué!!! Não estavam vendendo 18 por dia???

Eu não estou torcendo pra bolha estourar, sabe porque? Porque já é certo que ela vai estourar, na minha opinião depois da copa.

Outra coisa, não vou ter pena de ninguém.

Anônimo disse...

Se uma kit que custa R$ 375 mil pode ser vendido depois por mais de R$ 500 mil "fácil", por que a construtora não segura a kit ela mesma e vende depois por mais de meio milhão?

Márccio disse...

Sr Rodrigo, pelos seus comentários, nota-se que é uma pessoa idônea. Parabéns pela ética! Assim que a poeira assentar, deverei procurá-lo. Hoje possuo cerca de 600 mil e q gostaria de comprar o apto que moro na 310N (115m). O preço que o dono pede: 980 mil. Coloquei o $$ nos Títulos do TEsouro. Consegui 18% aa. Gostei e já estou pensando em não comprar antes de 5 anos, pois nesse prazo já terei dobrado o capital e a bolha já deverá ter estourada.

Rodrigo Barreto disse...

Caro senhor Márccio, bom dia! Agradeço a preferência e coloco-me a disposição. Boa sorte e sucesso em seus investimentos.

Márccio disse...

Aprendendo com a bolha imobiliária espanhola


Muito do que tem acontecido no mercado imobilário brasileiro se assemelha ao que aconteceu na última década na Espanha. Agora, os espanhois estão pagando o preço bastante caro pelo estímulo exarcebado ao setor imobiliário. Aprender com o ocorrido no mercado imobiliário espanhol, portanto, é essencial para o investidor brasileiro. Por isso, acho importantíssimo o seguinte vídeo, que explica de uma maneira transparente o que aconteceu por lá. Apesar de estar em Espanhol, o vídeo é perfeitamente compreensível.

http://opequenoinvestidor.com.br/2011/09/aprendendo-bolha-imobiliria-espanhola/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+com%2FQIdx+%28O+pequeno+investidor%29

Anônimo disse...

Se essa bolha estourar só daqui a uns 5 anos, como pensam alguns aqui, até lá os preços continuarão a subir, não na mesma proporção mas continuarão... então, havendo redução dos preços em virtude da bolha, eles não cairiam mais ou menos para os valores de agora?

Anônimo disse...

Tem razão o anônimo que postou que os preços daqui a 05 anos serão os mesmo de agora. Com toda a bolha estourando é nesse patamar que ficarão. Nem mais e nem menos. A diferença de comprar agora é que o proprietário já terá pago 03 anos para receber o imóvel na planta e mais 02 de uso. E quem comprar agora um imóvel pronto já terá pago 05 anos dos 30 anos que por um acaso terá que pagar se não comprar a vista.
Enfim, elas por elas, simples assim!

Jamile disse...

Realmente, pode acontecer dos preços permanecerem como estão... pessoal, o que acham? Cadê o Pedro, Rodrigo? Qual a opinião de vcs a respeito? Pq sumiram?!

Rodrigo Barreto disse...

Oi Jamile e aos demais participantes, desculpas pelo meu “desaparecimento”, rs... Estou atento e acompanhando os comentários aqui postados. Prometo não ficar muito tempo distanciado.
Há uma grande diferença dos imóveis vendidos no lançamento em relação aos imóveis usados. No Plano Piloto (Asas Sul e Norte, Setor Sudoeste, Lagos Sul e Norte). Percebo uma grande especulação, dentro mercado imobiliário, no que diz respeito, aos imóveis na planta. O que, portanto, acaba por influenciar no setor de imóveis de terceiros (imóveis usados). Mesmo assim, tem-se percebido uma queda, praticado no valor do metro quadrado, nos imóveis no Setor Noroeste. Isso acontece provavelmente em função da falta de procura.
Meu ponto de vista: temos poucas unidades à venda em Brasília (Asas Sul e Norte, e Setor Sudoeste). São prédios baixos, no máximo com seis andares e a maioria imóveis usados. Os valores estão altos, mas enquanto tivermos pessoas com potencial de compra (a maioria não possui capital próprio, em moeda corrente, mas contam na maior parte com o valor imobilizado em outros bens imóveis) dificilmente haverá uma ESTAGNAÇÃO (o que não se torna estouro na bolha e nem desvalorização) nos valores dos imóveis. Desta forma, não acredito nessa estagnação, nos preços dos imóveis, principalmente para os próximos cinco anos. Pois estamos falando que 60% desse tempo – ou seja, em três anos – teremos a copa do mundo, e não existe a mínima possibilidade disso acontecer, a não ser por uma adversidade, como o ocorrido no Sul do país recentemente. Volto a repetir: acredito na desaceleração da valorização, ou seja, os imóveis irão aumentar de valor continuamente, mas com uma percepção positiva anual menor que nos últimos três anos.
Finalmente, vai uma dica aos que pretendem comprar um imóvel: não tomem como base anúncios, de jornal ou internet, para avaliarem previamente os valores de imóveis. Dá muito trabalho, mas o melhor é verificar, juntos aos cartórios de registros de imóveis, os valores médios dos imóveis escriturados recentemente. Desta forma pode-se encontrar algo mais próximo da realidade.

Márccio disse...

Rodrigo, como já falei outras vezes, parabéns! Ainda que discorde de vc, mas foi muito sincero seu comentário. É a lei de oferta e procura. Quem comprou para especular
vai se lascar,
pois não há como negar
que a bolha vai estourar!

A copa é de um mês
o restante será de dor de cabeça!!!!

Anônimo disse...

Leiam o artigo Viver de Alugueis do respeitabilissimo Stephen Kanitz

Jamile disse...

Valeu, Rodrigo... não acredito que vá estourar uma desastrosa bolha, mas acho que os preços vão reduzir um pouco sim... o que mais está se ouvindo falar é em queda na venda de imóveis; com a procura reduzida, consequentemente terão que diminuir os preços para conseguirem vendê-los... é a lei da oferta e da procura...

Anônimo disse...

Recomendo que vejam a data em que foi escrito o artigo "Viver de alugueis do respeitabilissimo Stephen Kaniz".
Comprei uma casa (03 quartos, uma sala, cozinha, varanda, simples mesmo, periféria) justamente nesta data, nos arredores de Brasília por R$ 12.000,00, hoje ela está avaliada por três corretores em R$ 150.000,00. Apenas nove anos depois, e olhe que eu não fiz nenhuma benfeitoria. Coloquei uma placa de "Vendo esta casa" por uma semana só para comprovar esse valor, e não faltaram compradores, mesmo eu falando o valor que eu queria.
Compro ações, ganho muito dinheiro, mas pego os rendimentos e compro imóveis. E sim, vivo do rendimento de algueis; completam minha aposentadora. O conselho que dou aos meus netos é que quando eu for dessa para outra melhor ou pior não sei (rssss), que eles façam o que queiserem com o patrimônio que deixei. Não vou levar nada de material, graças a Deus.

Rodrigo Barreto disse...

Postado por: Redimob | 23/09/2011 13:39:44
Fonte: Redação Redimob
A bolha imobiliária voltou a estar no centro das discussões do mercado imobiliário esta semana. Afinal, o Brasil está à beira de ter uma bolha no mercado imobiliário? Em reportagem veiculada no Diário do Grande ABC, o diretor de fiscalização do Banco Central, Anthero de Moraes Meirelles tranquilizou os profissionais do mercado, salientando que o surgimento de uma bolha no setor está fora de foco.

Ele justifica que o Brasil, atualmente, passa por um aumento de renda, maior poder aquisitivo e bancarização. Isto porque, de acordo com Meirelles, as regras de concessão de crédito no País são restritivas. O Brasil adota uma oferta de crédito conservadora, mais voltada para a aquisição da primeira moradia em quase todos os casos. Além disso, o financiamento médio é de 65% do valor do imóvel.

Se a bolha foi destaque, o preço dos aluguéis em São Paulo não ficou atrás. O site InfoMoney divulgou que em 12 meses, os preços dos aluguéis na cidade de São Paulo tiveram alta de 17,09%, variação maior que a da inflação do mesmo período. No mês de agosto, o preço da locação de imóveis teve leve alta de 0,4%, se comparado ao mês de julho.

O site InfoMoney ainda publicou que, segundo dados do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), o valor do aluguel na cidade de São Paulo, dependendo da região, pode ficar até 129,75 % mais caro. Confira as diferenças entre os bairros na reportagem completa.

Anônimo disse...

Olá Pedro, há algum tempo leio o seu blog.

É muito bom ter essa informação sobre a bolha aqui.

Também acho que o mercado está desaquecendo. Em relação a 2005-2008, quando acompanhei muito de perto o mercado, pois estava comprando e vendendo meu primeiro e segundo imóveis.

Agora sempre confiro o ite wimóveis,para comparar, e vejo que a valorização maluca acabou, e mais, quase não vi valorização entre 2010 e 2011.

Tive sorte pois comprei o primeiro em 2006, vendi em 2008, quando também comprei o segundo. A valorização foi importante para eu poder "migrar" pra um apartamento melhor, como um upgrade.

Vi valorização até 2009. De lá para cá está tudo meio igual, sem valorização. Os preços no wimoveis são os mesmos, e há mais demora para a venda também.

Eu certamente não compraria nada agora, e estou também querendo que esta bolha estoure logo.

Também não me impressiono quando vejo que um apartamento como o meu valeria em torno de 850, 900 mil. Não mesmo. Acho ridículo, um despropósito.

Não sei ao certo fazer os cálculos para saber se fiz um negócio justo, bom ou péssimo. Tenho a sensação de que a época em que eu tive o dinheiro disponível foi boa para o mercado imobiliário, então "acho" que me dei bem, até por que não saberia fazer qualquer outra aplicação, como bolsa de valores, títulos, etc.

Comprei à vista o 2 quartos no Sudoeste Economico em 2006. fiquei pagando aluguel até juntar o dinheiro. Sorte que eu não tinha filho, pois deupara viver sem grandes confortos.

Aí foi um bom negócio certamente, pois o Ferola já vendia por bem mais na época, o mesmo tipo de apartamento. Vendi em 2008, por quase o dobro. Na época, essa valorização acontecia, e já era um claro sinal de um despropósito, de bolha.

Com mais um tanto em dinheiro, foi a entrada de um 3 quartos na área não econômica do Sudoeste, e financiei o resto em 15 anos na CEF.

Além das prestações, deste então já paguei mais 30.000 do saldo devedor, reduzindo o valor das prestações.

Não sei se foi/é um bom negócio, não sei fazer as contas. Mass eu "acho" que é, pois aproveitei o auge da bolha, eu acho. E como não entendo de investimentos, não tenho a menor idéia do que poderia ter feito com o dinheiro, se não fosse comprar o imóvel.

Considero um bom negócio ter garagem e elevador e um parquinho para meu filho (que agora eu tenho, é um bebê) brincar. Nunca tive isso, passei a vida em pensionatos, repúblicas etc, qualidade de vida muito ruim, pra conseguir juntar o suado dinheiro da compra à vista, então fico feliz em poder dar a mim e ao meu filho um espaço melhor para viver.

Não sei por exemplo aplicar em títulos públicos, não sei fazer os cálculos, nem gerenciar, e muito embora eu saiba o conceito de custo de opotunidade, sinceramente acho que eu não teria capacidade de gerenciar melhor meu dinheiro, de modo que comprar este apartamento foi o mais fácil para mim.

Talvez seja esta questão para muita gente como eu: por ignorãncia e por ser o mais fácil, "aplicamos" dinheiro no sonho da casa própria. E como moramos literalmente em cima do imóvel, que é palpável, é real, dá para sentir que temos algo, mesmo que tenha sido caro demais ou oneroso demais, a sensação é de que fizemos a coisa certa. Mesmo se não foi a mais certa financeiramente.

Então, igual a outros aqui, olho o valor do aluguel e vejo que pago bem menos de prestação. Mas aí vcs explicam que essa não é a comparação certa. Mas enfim, agora vou abatendo do saldo devedor sempre que chega um 13°, etc, para pagar o financiamento o mais rápido possível, e espero quitá-lo até 2016.

Um abraço,

mãefeliz

cintia disse...

Brasilienses têm gastos semelhantes aos de moradores de países ricos

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2011/10/09/interna_cidadesdf,273220/brasilienses-tem-gastos-semelhantes-aos-de-moradores-de-paises-ricos.shtml

Anônimo disse...

Minha Casa Minha Vida está inflando os preços dos imóveis até nas cidades pequenas. Na cidade da minha mãe, onde a grande maioria das pessoas ganha um salário, uma casa popular pelo MCMV com ajuda da prefeitura, de 67m2, está saindo por mais de 70 mil reais! Um absurdo, não tem base alguma isso. Fora que essas casas não vão durar 30 anos, pela qualidade da obra e dos materiais utilizados.

Com relação a Brasília também concordo que há uma bolha. No meu caso, tenho uma renda relativamente alta, solteiro, não tenho dívidas, carro quitado, e já procurei imóveis para comprar com a intenção de morar. Após olhar os preços desisti, verifiquei que o meu aluguel no Sudoeste está bem mais barato do que uma prestação de um apartamento menor, mais abafado e mais longe em Águas Claras. Atualmente pago o aluguel e guardo a diferença da prestação. Enfim, cada um tem a sua consciência mas para mim os preços estão surreais.

Anônimo disse...

Como já disseram aqui, tem gente que fica desesperado para vender, sai botando faixa na janela, etc. Só que o desespero do outro lado também existe... Está cheio de gente desesperado para sair do aluguel ou vir morar no Plano. Desespero por desespero, acho que quem já tem seu imóvel não abaixa o preço, pois sua situação é mais confortável e estável: continua morando no próprio imóvel, sem pagar alguel, até surgir um comprador. Quem já paga aluguel ou moral longe é diferente...

Anônimo disse...

O sonho de todo inquilino atual é falar que a tal bolha vai estourar e que os preços voltarão a ser o que eram em 2006, quando finalmente pagarão um "preço justo" para morar bem em Brasília. Só não sei onde vão arrumar tanto lugar no Plano para botar todo esse povo, já os terrenos praticamente acabaram e os poucos que ainda restam estão limitados a prédios de 6 andares. Os preços não sobem mais como antes, mas daí para cair, acho difícil. Para mim não existe bolha, mas sim sonho.

Anônimo disse...

Pedro Júnior, assim como as opiniões que você cita em seu post (de corretores e bancários, por exemplo), a sua opinião não é imparcial, pois você diz que paga aluguel, então é interesse seu vender a idéia de que ninguém de comprar imóvel agora, para a oferta aumentar, os preços caírem e você sair do aluguel...

Pedro Júnior disse...

Senhor anônimo,
Se o sr. ler o título do blog e os assuntos dos quais o mesmo trata verá que está escrito que o blog não é imparcial. Sempre fui muito transparente em relação a isto. Sou parcial, torço pelo estouro da bolha e pelo fim da manipulação do mercado imobiliário com crédito público e propaganda governamental.
Se você quer opiniões imparciais procure ler os grandes jornais. Estes sim não têm interesse nenhum a defender, apesar de serem sustentados por anúncios publicitários de construtoras, imobiliárias e do governo conseguem manter uma enorme imparcialidade.

Anônimo disse...

Você tem alguma ideia de quando a bolha vai estourar? Estou pensando em comprar imóveis em Brasília mas realmente concordo com sua opinião que hoje é jogar dinheiro pela janela e correr o risco de ter em 4 ou 5 anos um imóvel bem desvalorizado em relação ao preço que paguei hoje. Há alguma previsão de quando deve ser um bom momento de compra?

Anônimo disse...

Vendi meu apto no Sudoeste semana passada para um comprador com dinheiro a vista. Ele ficou 35 dias anunciado. Na verdade eu esperava vender em 10, 15 dias, mas fiquei satisfeito. O mercado ainda está em alta e quero comprar logo meu novo apto, pois ficar com muito dinheiro no Banco não é meu perfil, até fico inseguro com isso. O que achei interessante nesse processo todo foi a informação que tive que imóveis em Águas Claras demoram de 6 meses a 1 ano para vender e ainda assim não abaixam o preço, pois o vendedor não precisa ter pressa, uma hora vende. Já aquele que quer comprar é que sofre mais com a demora.

Marco disse...

Um monte de mentirosos.. kkkk aptos estão baixando de preço. 311N quadra mais bonita de BSB, de 1.150.000,00 agora por 990.000,00 e a oferta q fazem 800.000,00.
Não comprem e nem caiam nessa.

Anônimo disse...

Um apto no meu prédio, no Sudoeste, ficou anunciado no Wimóveis por vários meses até ser vendido (calculo que uns 8 meses). Preço: R$ 620k, área 73m2. Não sei se existe bolha e se ela vai estourar, mas os preços parecem ter se estabilizado.

Anônimo disse...

Pela primeira vez tive o prazer de ler um texto que defini muito bem o momento que estamos vivendo.Sem duvida como economista posso afirmar a todos que isso ira ocorrer em breve, e o mais sensato é se preparar pois quem estiver com grana vai lucrar muito com leilões de bancos e pessoas que estarão entregando seu imoveis a preço de banana apenas para não sujarem o nome na praça.

Anônimo disse...

Não vejo comentários sobre Aguas Lindas , Valparaíso, formosa porque não dizer de todo o entorno de Brasília. O valores de imóvel nessas regiões também subiram absurdamente, qual a explicação ? Será que somente Aguas Claras e Sudoeste ditam as regras de mercado aqui em Brasília >? Bom!! Algo posso afirmar, quem não comprar casa ou apartamento em Brasília agora, corre um serio risco de ter que ir morar no entorno. Pois vejamos, ha uma escada inversa pra quem sobe e quem desce, quem tem hoje um apartamento de 1 quarto em taguatinga por exemplo após quita-lo com toda certeza vai querer passa para um de 2 quartos ou ate mesmo de 1q moderno (novo) quem tem um de 2q antigo que passar pra um mais novo ou de 3q, quem tem de 2 em Aguas Clara por ex logo ira para o noroeste, e assim vai, esta é a que sobe.

A que desce é justamente a pessoa que não consegue alugar ou comprar nada em Brasília e por questões econômicas são obrigadas a irem para o entorno onde os imóveis ainda podem ser comprados a R$ 100.000.00 ou R$ 150.000.00.

Coca-cola antes era R$ 1,50 no supermercado, hoje eu não acho por menos de R$ 2,50
o salário mínimo era R$ 375,00 dava pra comprar “3 produtos qualquer” hoje é R$ 545,00 e você continua só conseguindo comprar “3 produtos qualquer”
então não adianta comprar casa e deixar ela parada e revender daqui 10 anos, único jeito de realmente LUCRAR com isso, é se você reforma-la e revender,
comprar uma casa e deixa-la parada isso aumenta o numero, mas o real valor dela continuará o mesmo, exceto se as casas semelhantes as suas estiverem em escassez no pais e com uma procura muito grande, mais não conte com isso pois é muito improvável.
Unico jeito de ganhar dinheiro com imóvel é mexendo nele, seja para reformar, seja para construir do zero, seja para lotear um terreno de um bairro que esta valorizando, isso sim da dinheiro, mesmo assim é muita amolação, você ficará com muita dor de cabeça, é complicado, agora existem outros meios de se ganhar dinheiro. DENIS.

eduardo disse...

excelente argumentação. Uma boa síntese de todo o cenário de Brasília.

Sobre os motivos que movem um corretor recomendo a leitura de um artigo no livro "Freakonomics"

Parabéns pelo blog.
Uma voz de lucidez em meio a "exuberância irracional"

Daniel disse...

meus queridos sonhadores, o sonho da casa própria é o sonho nacional. "quem casa, quer casa"... "vou sair do aluguel"... são alguns dos ditados que refletem isso! os preços antes de 2006 estavam defasados, o pessoal investia muito em bolsa, sei lá, imóvel era barato. quem comprou até 2007 se deu bem demais! não adianta ficar com invejinha agora sonhando com essa bolha ilusória. Perdeu o trem da história e terá que admitir, essa é a verdade, dura, mas é. Mas aí vai a dica: se você tem condição de comprar, compre! Sabe quando essa bolha vai explodir? NUNCA! Pense: a população de Brasília passou de 2,5 milhões e aqui a renda per capita é alta, a maioria de servidores públicos, estáveis, renda garantida para pagar o financiamento o tempo que for. É crédito sustentável, ninguém vai ganhar menos e, muito menos, baixar o preço do seu imóvel. O preço vai é continuar subindo, menos do que no período de 2007-2009, mas sempre vai subir. Aliás, quando na história do Brasil preço de imóvel caiu??? Respondem por favor os sonhadores! Tem até o ditado: "imóvel é o investimento mais seguro!". Os preços estão exatamente como deve ser, não estão mais defasados. Então se você puder comprar, COMPRE! Não há nada melhor do que sair do aluguel! Morar no seu próprio imóvel! Reformar para ficar a sua cara! (quem disse que inquilno reforma alguma coisa? "Dar dinheiro para o proprietário, eu não!" Mas aí mora naquela espelunca...) Quem sonha com a queda dos preços, ou é porque caiu no conto do VIGÁRIO (o tal conto da BOLHA), ou é porque NÃO TEM DINHEIRO! Se você pode, não perca tempo. Vá lá e seja feliz. Fica aí a dica!

Pedro Júnior disse...

Engraçado que esse tal de Daniel estava lendo um blog sobre bolha imobiliária. Se ele estivesse tão certo de seus dogmas racionais: imóvel nunca cai de preço, salário em Brasília nunca cai (mesmo com a inflação e sem reajuste), o crédito é sustentável, o Brasil é o país do futuro, imóvel é o investimento mais seguro, saia do aluguel, quem fala de bolha é invejoso. Muito fundamentados os argumentos. Me parece que Vossa Senhoria é um desses corretores estagiários que não custam nada para a empresa e não ganham comissão há alguns meses. Não perca seu tempo neste blog. Se você não acredita em bolha porque perde seu tempo aqui. Sai fora rapaz e vai tentar vender um imóvel para ganhar uma comissão e sustentar a sua família.

Salorram disse...

Sou um rapaiz de 19 anos e estou preste a investir em um imovel e estou lendo a respeito, muito bom o blo, parabéns mesmo.
Mas a questão é, essa bolha um dia já estorou em Brasilia em algum momento e em quanto tempo você acredita que irá estourar?

Anônimo disse...

A quem diga que a economia global em crise, que parece que veio para ficar, vai derrubar os preços dos imóveis. Na verdade é o contrário, quem tem dinheiro em ações vai é fugir do risco e procurar algo seguro, como imóveis. E quem mantém dinheiro em CDB esperando preço de imóvel baixar, a qualquer momento, a cada dia, corre o risco de receber uma notícia como a de que seu banco quebrou (Bamerindus, Panamericano, Econômico, Nacional estão aí para mostrar que isso ocorre...), que o governo criou algum plano maluco com o dinheiro das pessoas (como o Collor fez) ou ser vítima de uma fraude (toda hora vemos notícias de ataque de hackers ou fraudes em sistemas bancários no noticiário, e até conseguir o dinheiro de volta...). Para mim, a chance de coisas assim acontecerem novamente (veja-se, não seria a primeira vez) é muito mais real do que esse papo de bolha ilusória que nunca existiu.

Anônimo disse...

A propósito, engraçado que quando alguém aqui se manifesta de forma contrário aos sonhadores da Bolha, é logo taxado de corretor disfarçado. A verdade dói tanto assim? Li alguns comentários e vi o de uma tal de Renata, postado em 27/12/2010, em que ela estava feliz da vida de ter comprado seu apto, e até a chamaram de fake. Pois é, quase 1 ano se passou, ela deve continuar feliz da vida com sua aquisição, enquanto os sonhadores ainda estão esperando a tal bolha estourar... Espero que sentados, pois é uma espera eterna. Gostaria de dar hoje os parabéns para a Renata, mas infelizmente ela deve ter mais o que fazer, talvez cuidar de uma reforma no seu próprio apartamento, e dificilmente verá meu comentário. Mas aos sonhadores que a ridicularizaram, estes sim ainda devem passar por aqui de vez em quando para alimentar suas ilusões, então fica a verdade, nua e crua, para que reflitam sobre ela. No meu caso, prezada Renata, também estou feliz da vida como você em recentemente trocar de apartamento, dando entrada com o valor da venda do que eu já tinha (e que se valorizou!) e financiando novamente a diferença, como fiz da outra vez, sem medo de ser feliz. Aliás, amortizei periodicamente o saldo devedor e quitei rápido. O financiamento agora é maior (assim como o apartamento!), em 12 anos, mas meu planejamento me mostra que quitarei novamente em 5,5! Isso é matemática, e não sonho.

Anônimo disse...

Rebatendo os argumentos do autor

Argumento 1 – “a razão aluguel/preço do imóvel deve ser próxima a 1%”. De onde saiu isso? Pode indicar a fonte, a origem desse estudo? Se é que existe? Ainda mais um número redondo como esse, 1%! Parece mais um chute do que algo real. Não é um percentual que define esse fator, e sim mercado, oferta, procura, qualidade do imóvel alugado, estar mobiliado ou não, reformando ou não, etc. Viagem!

Argumento 2 – “Se você acha que pegar um financiamento é vantajoso, com nossas pequenas taxas de juros (de 10 a 15%) ao ano mais T.R., vá fundo”. Que taxa é essa de 10 a 15%? Onde você viu esses 15%? Entre no site do Santander, por exemplo, e verá que para as parcelas atualizáveis (que usam TR, já que você a citou) varia de 8,9 a 11%. Sem TR, a taxa máxima é 13%, mas aí sem TR. Portanto o valor que você citou de 10% a 15% + TR é falso. E essas taxas que eu citei é o máximo, o Banco tem liberdade de negociar e reduzir com o cliente, como ocorreu no meu caso. Crédito imobiliário é a menor taxa de crédito do mercado.
De qualquer forma, o mais importante é que você pode amortizar o financiamento sempre que sobrar um dinheiro, esse é o grande pulo do gato. Se organizar para amortizar, pois reduzirá drasticamente os valores. Simule e verá!

Argumento 3 – “Escassez do crédito. Com a economia crescendo tudo é muito bonito e muito fácil. Vocês acham que o Brasil irá crescer para sempre ou que uma hora a nossa dívida pública será cobrada (ela não pára de crescer)?” Esse “argumento” mostra como a informação pode ser manipulada. A dívida pública cresce sim, mas em valores absolutos! Só que ela diminui quanto ao seu percentual em relação ao PIB. O que importa é seu valor em relação ao PIB. Exemplo: uma pessoa que ganha 10.000 por mês e pega 20.000 emprestado, tem uma dívida de 200% do “seu PIB”. Problemão. Só que se ganha 50.000 e pega os mesmos 20.000 emprestado, só estará comprometido com 40% do “seu PIB”. É só fazer um esforço que paga sua dívida em 1 ou 2 meses. A análise correta é sempre estudar a dívida pública em relação ao PIB, entendeu? O percentual da dívida pública em relação ao PIB era de cerca de 56% em 2002 e 43% em 2009. Portanto, a dívida pública brasileira está é diminuindo!! Quem boa notícia, não é? Prova disso é o aumento do consumo, diminuição da pobreza, aumento da classe média, mais pessoas andando de avião. Enfim, o país vai bem, e como não poderia deixar de ser, os imóveis subiram! Recentemente as reservas internacionais do Brasil ultrapassaram as dívidas internacionais! Comemore!

Anônimo disse...

CONTINUÃÇÃO

Argumento 4 – “Quantas pessoas você conhece que estão comprando apenas para especular?” Comprei um lote ano passado por 68 mil e ele está valendo hoje 105 mil. Recomendo.

Argumento 5 – “Vocês acham que de repente o Brasil descobriu que nunca foi pobre e virou rico. A dívida pública bruta está em níveis altíssimos e não pára de crescer”. Já derrubado esse argumento repetitivo no item 3 acima.

Argumento 6 – “Olhe para Águas Claras e veja quantos edifícios estão sendo construídos. Não temos demanda para tudo isso”. Ô, se não tem! A população do DF passou de 2,5 milhões. DF cheio de servidores públicos estáveis, ganhando bem! Classe média crescendo, junto com o país, querendo morar bem também! Por que não? Morar bem é o sonho de todo mundo! E o Plano Piloto todo ocupado, quase sem lugar para construir...

Argumento 7 – “Imóveis nunca caem de preço: vou apenas usar 2 exemplos - Estados Unidos em 2007 (queda no preço em várias cidades) e Japão na década de 90”. Puxa, foi preciso andar por todo o planeta ao longo de toda a história e encontrar somente 2 exemplos? EUA em 2007 e Japão na década de 90?? Vamos simplificar. Dê só um exemplo do Brasil, por favor! Não queremos saber de outros países, com outras histórias, realidades e perfis. Diga quando na história do Brasil preço de imóvel caiu? E na história recente do Brasil? Cuidado para não ficar horas no Google...

Por fim, mais a frente, o autor acha engraçado que no prédio dele há muitos carros velhos. Que vergonha, além de invejar o apartamento alheio, agora deu para invejar os carros também...

Leonardo disse...

Bom assunto a ser discutido, parabéns pela matéria!

Assunto difícil mesmo e chato para caramba de conversar, todo mundo quer ser parcial no assunto!!

Frase ótima achada aqui: Não pergunte para um barbeiro se você precisa de um corte de cabelo. (W. Buffett)

Sr. Corretores e investidores novos e velhos ricos, boa sorte com seu negócio. Mas, por favor, sejam HONESTOS!!!

Será que os processos correm dentro das leis? todos que escrevem aqui participaram de compra/venda de imóveis sem um "jeitinho brasileiro" , sem "informação privilegiada"? Será?

Na bolsa de valores, isso dá cadeia, pois arrebenta o mercado e se torna insustentável (qualquer analogia com o que vai(ou pode?!) acontecer é pura coincidência...)!

A hora que conseguirem regulamentar o mercado imobiliário, como vai ser??(tomara que exista uma forma de regulamentar esse "negócio"...)?

Negócio é negócio, tem gente que ganha dinheiro da mesma forma com carros, e alguns de forma honesta, outras desonesta. Mas não se envolvem com tantos dinheiro. Quem lida com carros, pode fazer estragos na vida de alguma pessoas, mas não vão fazer o ROMBO na vida das pessoas como os desonestos quando o assunto é imóveis (e envolve o "sonho" das pessoas - por enquanto é sonho sim...)

Enfim, como todo negócio, tem altos e baixos - podemos dizer que um dia terá uma baixa esse negócio? acredito que sim... ai, cada um da o nome que quiser, se quiser chamar de "bolha explodiu", ok, ou então, usa outro nome...

Quem é o dono da verdade nesse assunto?

Somente quem esta envolvido diretamente na economia (políticos, talvez?!?!), com bancos, com créditos bancários, etc, pode ter uma visão APROXIMADA do que vai acontecer, e principalmente, quando vai acontecer.

O "resto" das pessoas, é resto, suas opiniões e argumentos são pura especulação.

Enfim, recomendo essa leitura do link abaixo, trata desse assunto e traz uma visão mais geral sobre economia e ajuda a entender (e se arrepender) dessa loucura que vivemos.... :

http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1108

Felicidades a todos, justiça e paz. Bom feriado (terça).

Anônimo disse...

quem comprou imoveis nos ultimos 2 anos, vai se
estrepar todo. Brasileiro com um per capita de $ 11.000 dolares, paga o dobro por um imovel, similar nos EUA, com per capita de $47.000 dolares. E brasileiro ainda paga de 10-15% de juros, comparado com 4% de juros dos americanos.
Tem que ser muito louco, para comprar casas nestes niveis. Em menos de 5 anos, os preços vão desabar uns 50%. Quem gosta de perder dinheiro, vá fundo!

Anônimo disse...

Viagem esse anonimo que escreveu em 13/11, 8:10.
imóveis vão cair uns 50%!! De onde tirou esse valor tão exato, da imaginação??
Em menos de 5 (CINCO!!!!) anos os preços vão cair... Puxa, o cara consegue prever o futuro pra daqui 5 anos!!
E ainda comparando Brasil com EUA...
Mais um inquilino desesperado...

Anônimo disse...

Caro Pedro Júnior,

Li seu post em maio de 2010 e achei seus argumentos ótimos.
Só uma dúvida...já passaram 1 ano e 6 meses e a bolha ainda não estourou, quando isso vai ocorrer?

Anônimo disse...

Bom dia a todos. Um amigo me indicou este espaço. Bem legal.
Sou corretor de imóveis e trabalho na área do plano piloto e aguas claras.
Meu ponto de vista: tenho discutido com alguns amigos sobre o mercado:
1. achamos q se o preço dos imóveis cair, será melhor, pois n estamos vendendo nada eos poucos q vendemos são para revenda;
2. o programa nossa casa nossa vida nos ajudou, pq muita gente vendeu casa em lugares remotos e veio para AC;
3. A empresa q trabalho tem feito reuniões e nos informado que o mais importante é vender, o resto é com os bancos - acho isso errado, mas dependo da venda para minha comissão;
4. Se quiserem investir ou especular, a bola da vez é valparaiso, apesar de eu n trabalhar naquele condado.

Mas, em resumo, aqueles q puderem esperar, esperem pois o preço deverá cair e muita gente comprará e eu vou ganhar.
Acima de tudo, faço amigos quando vendo!
Abrç

Maíra disse...

Bom dia! sou corretora, leio sempre o blog e já estava para escrever justamente o que o meu colega corretor escreveu. Quero que os preços baixem logo pois tenho uma boa carteira de cliente que estão esperando os preços baixarem.
Só espero que ela não leve 05 longos anos para estourar, porque se for desse modo não haverá baixa de preços e sim uma estagnação dos mesmos e a compra adiada será feita pelos mesmos valores paraticados hoje e aquele que está comprando seu imóvel próprio só terá adiado 05 anos de prestações pagas dos seus imóveis que irão pagar de financiamento, ou todos que estão a favor do estouro terão dinheiro para comprar a vista? Se for, melhor para nós corretores pois o trabalho diminui bastante.
Abraços e boa sorte a todos!
Maíra, Consultora Imobiliária do DF

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 364   Recentes› Mais recentes»